Cobrança

Professores da rede municipal entram em greve e participam de protesto na Av. Pontes Vieira

Profissionais cobram reajustes estabelecidos pelo Ministério da Educação e que não foram repassados pela Prefeitura de Fortaleza

09:46 · 18.04.2018 / atualizado às 11:11
greve
Segundo o Sindiute, apenas os docentes temporários e substitutos estão dando aula atualmente na rede municipal ( Fotos: Theyse Viana e Suelen Crisóstomo )

Os professores da rede municipal de Fortaleza entraram em greve nesta quarta-feira (18) por tempo indeterminado. Nesta manhã, centenas de profissionais bloquearam, desde as 8h, um trecho da Avenida Pontes Vieira, esquina com a Avenida Desembargador Moreira, em um ato de protesto contra a Prefeitura, que não teria concedido à categoria o reajuste mínimo estabelecido pelo Ministério da Educação (MEC).

"Ano passado, o MEC publicou o reajuste mínimo de 7,64%, que teria que ser repassado para a gente em janeiro, mas a Prefeitura não concedeu. Neste ano, o Ministério da Educação novamente estabeleceu o piso de 6,81% para os professores e a Prefeitura, mais uma vez, seguiu desconhecendo o aumento. Chegaram a propor o parcelamento deste valor, mas a categoria está insatisfeita", disse Gardênia Baima, diretora do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Fortaleza (Sindiute).

 

A paralisação, deflagrada na semana passada e que começou oficialmente nesta quarta-feira, segue sem data de término até que a Prefeitura de Fortaleza faça alguma proposta. Segundo o Sindiute, apenas os docentes temporários e substitutos estão dando aula atualmente. "Eles estão sendo assediados moralmente. Se não derem aula, serão demitidos.", disse Gardênia Baima.

Conforme os professores ouvidos pela reportagem, a manifestação desta quarta-feira deve durar até às 11h30. Na próxima segunda-feira (23), os profissionais realizarão uma nova assembleia, na Escola Municipal de Tempo Integral Filgueiras Lima, para avaliar a greve e discutir os próximos passos.

Prefeitura se posiciona

Assim como afirmou na semana passada, quando a greve dos professores municipais foi aprovada, a Secretaria Municipal de Educação (SME) relatou que a Prefeitura está em constante diálogo com o sindicato da categoria. "A remuneração média dos professores/especialistas da rede municipal de ensino em 2017 foi de R$ 4.647,87, inclusive com o valor inicial da carreira acima do Piso Nacional", acrescentou a SME.

Com o reajuste de 2,95% proposto pela Prefeitura, segundo a SME, a remuneração média passou a ser de 4.972,82, correspondendo a um aumento de 6,99% em relação a 2017. A Pasta enfatizou, ainda, que os professores registraram reajuste acumulado entre os anos de 2013 a 2017 no valor de 51,52%, representando uma média 14,85% maior em relação aos demais servidores. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.