Mobilidade

Primeiro túnel da Via Expressa deverá receber fluxo de veículos em outubro

O secretário executivo da Secretaria Municipal de Infraestrutura garante que a estrutura “não alagará nunca”

11:47 · 05.09.2018 / atualizado às 13:17

Em visita às obras dos túneis da Via Expressa nesta quarta-feira (5), o prefeito Roberto Cláudio informou que o túnel longitudinal construído entre as Avenidas Santos Dumont e Padre Antônio Tomás deverá começar a receber o tráfego de veículos no próximo mês.

“É um túnel bastante extenso que vai também dar mais mobilidade, mais agilidade ao trânsito da cidade. Ele permite que o fluxo de ônibus possa ter prioridade”, explica o prefeito. De acordo com ele, o segundo túnel, na Avenida Alberto Sá, só deverá ser liberado para veículos em dezembro, quando os acabamentos finais de parede e calçada estiverem em curso. A expectativa é de que a obra seja entregue por completo em junho de 2019. “São duas obras de mobilidade importantíssimas, que farão da Via Expressa finalmente digna do nome que ela recebe”, diz Roberto Cláudio.

Já o sistema de drenagem será feito a partir da gravidade, adequado à forma como os túneis foram construídos. “Essa obra aqui não vai alagar nunca, porque não tem bomba”, garante o secretário executivo da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinf), Roberto Resende. “Tanto esse túnel quanto o da Padre Antônio Tomás e da Engenheiro Santana Júnior, e, em breve, o da Santos Dumont, serão todos drenados pela gravidade, sem bomba”, afirma.

Municipalização

Roberto Cláudio comentou ainda o andamento de outras intervenções na Capital. Segundo ele, a Prefeitura tem a expectativa de lançar também a licitação da duplicação do viaduto Avenida da Raul Barbosa. “Ainda esse ano a gente tá com a municipalização de BR em andamento. Nesse trajeto Aeroporto/Mucuripe, a gente deve já iniciar a obra da duplicação do viaduto do Makro, após ou em paralelo a entrega desses dois túneis”, diz.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.