Seleção

Prefeitura vai realizar concurso para profissionais de saúde mental em 2018

Conforme titular da Pasta de saúde, o concurso deve ocorre no 2º semestre de 2018

20:38 · 17.07.2017
Foto_Reinaldo_Jorge_MPCE_Isabel_Porto_
Reunião contou com participação de pacientes e entidades que lutam por direitos da saúde mental ( Foto: Reinaldo Jorge )

A falta de profissionais de saúde mental nos Centros de Atenção Psicossocial (Caps) foi debatida em audiência, na manhã desta segunda-feira (17), na sede do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) pela 1ª Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde Pública. A má estrutura física e a falta de corpo profissional foram os pontos repassados pelo diagnóstico elaborado pela Promotoria sobre as unidades municipais. A secretária municipal da Saúde, Joana Maciel, se defendeu informando que o município de Fortaleza vem investindo em saúde mental e até revelou a realização de um concurso público para profissionais da área de saúde mental para 2018.

"Quanto aos recursos humanos, vamos trabalhar também com cooperativas de psiquiatria. Estamos chamando também profisisonais de seleção pública para atender outras demandas como psicológos, terapeutas ocupacionais, enfermeiros e no próximo ano, no segundo semestre, teremos concurso público especifico para saúde mental que já foi validado pelo prefeito", declarou a gestora da Pasta de saúde. 

Após uma manhã de intensos debates com a participação de diversos atores da Rede de Atenção Psicossocial de Fortaleza, a audiência realizada pela 1ª Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde Pública finalizou com uma nova data para continuidade das negociações: dia 25 de julho, às 9h, no auditório da Escola Superior do Ministério Público (ESMP).

“Não concluímos o TAC [Termo de Ajustamento de Conduta] porque são muitos pontos a serem discutidos, a discussão foi exaustiva, mas pudemos ouvir os usuários do sistema e os profissionais da saúde, promovendo a participação e o controle social. A proposta que o município está apresentando é um avanço e estamos tentando ser parceiros na reconstrução da Rede de Saúde Mental de Fortaleza na medida em que estamos construindo juntos este Termo de Ajustamento de Conduta”, conclui Isabel Pôrto.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.