plano de saúde

Prefeitura pretende revitalizar Lagoa do Porangabussu

As intervenções preveem melhorias urbanísticas, econômicas e sociais para a região

22:06 · 11.09.2018 / atualizado às 23:04
Lagoa do Porangabussu
A limpeza das margens da Lagoa e a instalação de ecoponto serão algumas das medidas para eliminar o acúmulo de lixo. ( Foto: Kleber A. Gonçalves )

Assim como a Lagoa da Parangaba, outro patrimônio hídrico da Cidade está no planejamento municipal para ações de revitalização. É o que indica o projeto do “Distrito de Inovação em Saúde” da Prefeitura de Fortaleza para a Lagoa do Porangabussu e região do entorno. A partir de um diagnóstico técnico, foram levantados problemas e propostas de intervenções para a melhoria urbana, econômica e social do local.

Devido à grande concentração de equipamentos públicos de  saúde, o Porangabussu foi escolhido como área de inovação neste setor, ação inscrita no plano Fortaleza 2040. Por isso, “a intervenção na Lagoa é um dos primeiros objetivos”, por ser muitas vezes foco de doenças, explica Mário Fracalossi Junior, superintendente adjunto do Instituto de Planejamento de Fortaleza (Iplanfor). 

“(A Lagoa do Porangabussu) está muito assoreada, precisa fazer o saneamento, além de que foram identificados vários pontos de lançamento de esgoto, o que não é permitido em nenhum corpo hídrico”, acrescenta Mário Fracalossi Junior. Outros problemas como acúmulo de lixo, degradação do meio ambiente e carência de espaços públicos para esporte, cultura e lazer foram apontados no diagnóstico.

Nas propostas, com intervenções de curto, médio e longo prazo, estão ações como a limpeza das margens, ecoponto, ciclofaixa, academia, esportes aquáticos, implementação de areninha, remoção de ocupações irregulares, feirinhas populares, polo gastronômico, arborização e paisagismo. A ideia também é atrair empresas pro entorno, possibilitando “oportunidade de emprego e renda para a população residente”.

Expectativas

Para Vera Lúcia Gomes da Silva, 48, agente de saúde e integrante da ONG comunitária Espaço de Desenvolvimento Integral, as ações são positivas mas demandam atenção frequente do poder público, com o monitoramento da verba e da qualidade dos serviços e equipamentos que serão instalados, por exemplo. 

Morando há 48 anos na região, Vera Lúcia defende que o acesso da população só será efetivo a partir de outras garantias por parte do poder público, com melhorias na segurança de bairros vizinhos e na iluminação. “Espero que o projeto se expanda também para bairros próximos como Rodolfo Teófilo e Parquelândia, melhorando o saneamento básico e seus equipamentos de saúde”, complementa.

Tratando-se de um distrito de saúde, a agente de saúde ressalta a necessidade de incentivos para os profissionais da área, com suporte para mais formações, além de atendimento efetivo em postos, clínicas e hospitais públicos para a população em geral.

Andamento

O projeto conceitual foi apresentado abertamente, pela primeira vez, aos moradores do entorno da Lagoa do Porangabussu na noite desta segunda-feira (10), no Parque Araxá, para discussão e avaliação.

“A proposta inicial é que a gente consiga começar o processo de licitação até o final deste ano, aí evidentemente no início do próximo ano já poderia se iniciar a execução das primeiras intervenções”, afirma o superintendente do Iplanfor.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.