Prefeitura e servidores públicos municipais não entram em acordo sobre reajuste de 5%

Categoria alega que proposta não atinge o percentual de inflação de 6,2%

16:29 · 07.03.2013 por Redação Web

Atualizada às 17h40

A Prefeitura de Fortaleza e representantes de sindicatos de diversas categorias de servidores públicos municipais não chegaram a um acordo sobre o percentual de reajuste salarial retroativo a janeiro da categoria, durante reunião nesta quinta-feira (7).

Uma nova reunião deve acontecer na próxima quinta-feira (14) Foto: Marcos Moura/Prefeitura de Fortaleza

A Prefeitura propôs 5% de reajuste salarial para 2013, a unificação do pagamento de todos os servidores sempre para 1º dia útil, e a remuneração mínima do sevidor de R$ 708,50. Os servidores públicos municipais alegam que o oferecido não atinge o percentual de inflação, que consiste em 6,2%.

No início das negociações, a Prefeitura informou aos servidores que 4,5%, era o reajuste previsto pela Lei Orçamentária Anual (LOA), aprovada em dezembro de 2012. Após debates, o valor foi reajustado para 5%.

Os servidores municipais públicos reivindicam um reajuste de 15.25%, retroativo a 1° de janeiro, como recomposição de perdas salariais dos anos de 2008, 2009 e 2012. Para a presidente do Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos do Município de Fortaleza (Sindifort), Narcélia Silva, o Município tem condição de apresentar uma proposta maior. "Os trabalhadores não irão aceitar a proposta. Nós entendemos que a Prefeitura pode avançar o percentual oferecido".

Conforme Nascélia, seria discutido nesta quinta, o reajuste salarial e o modelo de negociação, mas devido ao impasse, somente o reajuste foi debatido.

Já o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sindiute) argumenta que a proposta não contempla a categoria, que possui uma pauta específica com a Prefeitura.

Conforme a dirigente do Sindiute, Ana Cristina Guilherme, o reajuste dos professores é específico, devido os recursos repassados pelo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). "Nós estamos entendemos, que essa proposta não contempla a pauta geral, quanto mais a dos professores, que é 25.97%", alega.

Prefeitura garante que reavaliará as reivindicações

O secretário de Planejamento Orçamento e Gestão (SEPOG), Phillipe Nottingham, a discussão aconteceu em bom nível, mas com posições divergentes. "A Prefeitura está aberta ao diálogo e à negociação, só não podemos é atender todas as demandas", rebateu.

Nottingham garantiu a manutenção da mesa de discussão para avaliar a reivindicação dos servidores municipais 

Uma nova reunião acontecerá na próxima quinta-feira (14).

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.