Boletim

Mortes causadas pelo vírus H1N1 sobem 91% no Ceará

21 pessoas faleceram em decorrência da doença

15:26 · 04.05.2018 / atualizado às 17:59
Posto de Saúde
Vacinação continua no fim de semana ( Reinaldo Jorge )

Subiu para 21 o número de óbitos em decorrência de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) causada pelo vírus H1N1 no Ceará. O número, divulgado nesta sexta-feira (4) pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) por meio de boletim epidemiológico, foi atualizado na última quinta-feira (3) e é 91% superior ao último levantamento — que contabilizou 11 mortes.

O Ceará conta com 99 casos confirmados da doença — 23 a mais que o registrado no boletim anterior. Ainda de acordo com a Sesa, dentre os óbitos estão 12 mulheres e 9 homens, sendo 11 crianças de até 4 anos e idosos (acima dos 60 anos).

> H1N1: Fortaleza é a segunda capital com maior cobertura vacinal do País
> Ceará deve receber mais 720 mil doses da vacina da gripe

As mortes em decorrência do vírus H1N1 aconteceram em 11 municípios cearenses, com destaque para Fortaleza, que soma nove óbitos, e Eusébio, com três. As outras cidades foram Aracati, Caucaia, Crateús, Iracema, Maracanaú, Milhã, Paraipaba, São Gonçalo do Amarante e Solonópole; todas com um falecimento.

Vacinação no fim de semana

O número de postos de imunização será reforçado neste sábado (5). 18 Unidades Básicas de Saúde (UBS) estarão abertas entre 8h e 17 horas, em Fortaleza. O Centro de Saúde Escola Meireles, do Estado, também atende de 10h às 16h. No domingo, a vacinação ocorre em sete postos de saúde. Confira a lista: 

Postos

A imunização ocorre apenas para o grupo prioritário. Fazem parte desta seleção pessoas a partir de 60 anos; crianças de seis meses a menores de cinco anos; trabalhadores de saúde; professores das redes pública e privada; povos indígenas; gestantes; puérperas (até 45 dias após o parto); pessoas privadas de liberdade - o que inclui adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas; e funcionários do sistema prisional. As pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais também devem se vacinar.

H1N1

a

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.