Em Fortaleza

“Meu Lixo”: aplicativo informará chegada de caminhão de coleta em tempo real

A ferramenta faz parte de um pacote de ações de limpeza urbana na Capital até 2020, anunciado nesta quinta-feira (13) pelo prefeito Roberto Cláudio

13:26 · 13.09.2018 / atualizado às 13:49
Em dias de coleta de lixo nos bairros da capital cearense, o cenário é comum: sacolas acumulam-se nas calçadas, muitas vezes sendo rasgadas por animais e espalhando resíduos na via. Na tentativa de evitar o problema, a Prefeitura de Fortaleza lançará o aplicativo “Meu Lixo”, que informará aos usuários, em tempo real, sobre a chegada do caminhão de coleta domiciliar.
 
Conforme o secretário de Conservação e Serviços Públicos, João Pupo, o aplicativo será gratuito e está sendo desenvolvido para que o usuário evite descartar o lixo antes dos dias e horários marcados para recolhimento – erro que “contribui para proliferação de doenças e suja a cidade”.
 
Com a aplicação, que estará disponível a partir de janeiro de 2019, o usuário receberá notificações antes, durante e depois da coleta domiciliar. A ferramenta terá ainda um serviço de atendimento, por meio do qual a população poderá receber orientações sobre descarte de lixo, fazer reclamações sobre pontos que acumulem resíduos e sobre falhas na coleta. “Se o caminhão deixar de passar ou pular alguma residência, o cidadão poderá nos informar. Assim, será possível otimizar o processo”, diz Pupo.
 
Ações
 
A ferramenta para dispositivos móveis faz parte de um pacote de ações de limpeza urbana a serem implantadas na Capital até 2020, anunciadas nesta quinta-feira (13) pelo prefeito Roberto Cláudio, em coletiva de imprensa. “Se tem um problema que me incomoda é lixo. A cidade gasta R$ 250 milhões por ano com coleta, dinheiro que poderia ser aplicado em outras áreas. Temos que educar as pessoas e acabar com os maus-hábitos”, afirma o gestor.
 
Dentre as medidas para “reduzir os pontos de lixo e promover ações de coleta seletiva e descarte regular de resíduos sólidos”, estão a ampliação do Ecopolo da Avenida Leste Oeste, prevista para dezembro deste ano; e a instalação de mais seis equipamentos (nas avenidas Jovita Feitosa, Dom Manuel, Fernandes Távora, Bernardo Manuel e nos bairros Messejana e Varjota) até 2020, atingindo a meta de um Ecopolo por Regional de Fortaleza.
 
Além disso, afirma Roberto Cláudio, a Capital deverá contar com um Ecoponto em cada bairro, visando um aumento dos atuais 48 para 119 locais de “descarte gratuito de pequenas proporções de entulho, restos de poda, móveis e estofados velhos, além de óleo de cozinha, papelão, plásticos, vidros e metais.”

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.