OCUPAÇÃO

Manifestantes ocupam Casa de Frei Tito em busca de preservação do patrimônio público

O imóvel é uma homenagem ao mártir cearense, símbolo da luta contra o regime militar no estado

Ao todo, 12 grupos (cada um composto por uma média de 30 pessoas) participam do movimento de ocupação do local — de forma reversada — para denunciar o descaso em relação ao tratamento da Casa ( Foto: JL Rosa )
19:21 · 11.08.2018 / atualizado às 08:46 · 12.08.2018

Movimentos sociais e religiosos ocupam a Casa Frei Tito de Alencar, no Centro de Fortaleza. Os manifestantes reinvindicam a preservação do patrimônio que foi tombado em 2011, em homenagem ao cearense famoso, entre outros fatos, por lutar contra o regime militar no estado. A ocupação segue por tempo indeterminado, e os ocupantes garantem que só deixarão o local após respostas da Prefeitura de Fortaleza.

Ao todo, 12 grupos (cada um composto por uma média de 30 pessoas) participam do movimento de ocupação do local — de forma revezada — para denunciar o descaso em relação ao tratamento da Casa. Um dos objetivos do movimento é "a recuperação e manutenção para colocar a Casa como espaço de visitação, com o memorial da vida de Frei Tito", revela a organização do ato. 

Os participantes chegaram ao local na noite da última sexta-feira (10), mas foram removidos na manhã deste sábado, após o dono do imóvel chegar ao local. "Por volta de 6h30m, apareceu um senhor se dizendo dono, com os filhos dele, e começaram atos de violência contra as pessoas que estavam ocupando", revela Leonardo Sampaio, representante do Espaço Cultural Frei Tito de Alencar (Escuta).

O proprietário do imóvel, Cleuton Rocha, nega que houve violência, e afirma que os manifestantes estavam muito "nervosos". Ele ainda afirma que a casa foi "invadida" pois arrombaram as portas do local. "Eu cheguei para entrar na casa, e eles não me deixaram entrar na casa que é minha. É tombada mas é minha", revela o dono da casa. "Eu posso ajudar o pessoal, mas de uma maneira que seja legal. Segunda-feira, eu vou na Secretaria (de Cultura) e ver o que posso fazer", complementou Cleuton.

De acordo com Leonardo, os manifestantes saíram da parte de dentro do imóvel e estão acampados na frente do local. Neste sábado, às 16 horas, um evento entitulado "#CulturalOcupaCasaFreiTito" aconteceu com o objetivo de "mobilizar outras organizações populares, artistas, mídias e entoar, a partir da arte, o grito de resistência e de luta pela preservação da Casa Frei Tito", como informa a organização do ato.

Joice Elaine Silva Morais, 22, representante da Pastoral da Juventude, compareceu à cultural e declarou que “é um ato legítimo, que visa a preservação da memória do Frei Tito. É inadmissível a situação em que a casa se encontra. Está deteriorada. Os vizinhos nos apoiam, eles já manifestaram inclusive apoio a nossa causa, fornecendo água e ponto de apoio para caso precisemos”, disse a jovem. Ela ainda complementou alertando que "além de uma questão de memória, também temos a questão de saúde pública. Até bicho morto tinha na casa, isso causa problemas de saúde aos visitantes”.

História

A Casa de Tito de Alencar Lima (ou apenas "Frei Tito") localizada no Centro da Capital, foi tombada durante o governo da ex-prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins. O imóvel, onde o frade viveu a infância, não possui alto valor arquitetônico, e foi considerado patrimônio fortalezense em homenagem ao legado de luta a favor da democracia construído pelo dominicano. Frei Tito sofreu diversos tipos de violência (físicas e psicológicas) no início dos anos 70, e foi encontrado morto em 10 de agosto de 1974.

Todo ano, no aniversário de morte de Frei Tito, os grupos e movimentos que carregam a história do frade decidem organizar algum ato simbólico à data. "A gente faz uma celebração, uma homenagem a esse dia. E nesse ano, nós fizemos uma celebração para chamar atenção ao descaso com a casa", completa Leonardo.

O representante chama atenção para outra situação: o processo de tombamento efetivo do local. Leonardo aponta que é necessária "a continuidade do processo de tombamento, que é realizar pesquisa sobre a importância da casa na história da cidade".

Homenagem

Em Fortaleza, um quarteirão na Praia do Futuro abriga vários locais batizados em homenagem ao mártir. Posto de saúde, escola municipal e um Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) levam "Frei Tito" ao título. Além destes, na Assembleia Legislativa do Estado do Ceará, exite o Escritório de Direitos Humanos e Assessoria Jurídica popular Frei Tito de Alencar vinculado à Comissão de Direitos Humanos e Cidadania.

(Colaborou Samuel Pinusa)

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.