escola

Mães e filhos aprendem juntos a pedalar no Projeto Bike Anjo

Os ensinadores são ciclistas que escolheram a bicicleta como transporte oficial

12:05 · 13.05.2018 / atualizado às 13:18
byke
Erik Takeuti aprendeu a andar de bicicleta com a Escola Bike Anjo. Neste domingo (13), foi pela terceira vez seguida à Praça Luíza Távora ( Foto: José Leomar )

Foi na Praça Luíza Távora, na Aldeota que, nesta manhã de domingo (13), Erika Takeuti acompanhou os primeiros passos do filho Erik, 12, em uma bicicleta “Aos fins de semana perdemos o medo, é mais tranquilo”, revela a mãe. Os ensinadores são ciclistas voluntários da Rede Bike Anjo, que escolheram o transporte para os deslocamentos diários. “Não tenho carro, nem mesmo carteira de habilitação”, destaca Aline Montenegro, que integra o projeto há três anos. O Bike Anjo tem cinco anos de existência.

A comunidade está inserida em 600 cidades por 20 países ao redor do mundo. “Hoje, aqui na Praça, nós realizamos a ‘Escola Bike Anjo’, que é apenas uma das nossas atividades. A gente ensina desde o começo e continua acompanhando, no caso de a pessoa ter medo e não se sentir tranquila para ir com a bicicleta para as ruas”, resume Aline. O projeto contém equipamentos próprios. Não é preciso ter uma bicicleta, por exemplo, para aprender. 

Especial Dia das Mães

A Praça Luíza Távora é palco, toda manhã do segundo domingo de cada mês, dos ensinamentos dos voluntários. O evento especial de hoje levou mães e filhos a pedalarem juntos. É a Escola Bike Anjo. Valéria Pinheiro ousou reaprender a andar de bicicleta aos 54 anos. “Eu tinha 9 quando andei pela primeira vez. Caí e ralei o joelho, aí o medo veio e eu deixei pra lá”, remonta. A filha, Vladnize, que usa o transporte regularmente, a trouxe para o Bike Anjo e garantiu: “só vamos sair quando ela cansar”. 

A família Pinheiro se reúne, de vez em quando, para pedalar no Parque do Cocó. Dona Valéria ficava tomando uma sombra ou praticando zumba, enquanto isso. Depois da primeira aula, já se considera “profissional” na curva e no freio, que aprendeu antes mesmo da metade da aula. O suor na pele demonstra que Valéria, de fato, leva jeito.

Foi Olívia Fernandes quem pediu ao marido, por outro lado, para ser levada ao Bike Anjo, como um presente. "Foi uma indicação de rede social. Vi e logo me interessei", conta. O casal e a filha, Sofia, teriam no próximo ponto um almoço em um local também novo. 

"São coisas que a gente não tem conhecimento, e é tão interessante, além de gratuito para população. Podemos usufruir em familia, por exemplo. Sofia já pedala e então trouxemos a bicicleta dela", emenda. Sofia reforça, a mãe ainda tem carro, moto e patins para aprender a pilotar. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.