SERVIÇO

ID Jovem: Ceará possui mais de 2 milhões de pessoas na faixa etária do benefício

O documento garante meia-entrada em eventos artístico-culturais e esportivos, além de vagas gratuitas ou com desconto (50%) no sistema de transporte coletivo interestadual

A ID Jovem beneficia jovens de 15 a 29 anos, pertencentes à família com renda mensal de até dois salários mínimos e inscritos no Cadastro Único, com informações atualizadas há pelo menos 24 meses ( Foto: Kléber A. Gonçalves )
16:51 · 12.08.2018 / atualizado às 09:23 · 13.08.2018

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelou a população de jovens no Ceará: 2.415.526 indivíduos que se encaixam na faixa etária entre 15 e 29 anos, em 2018. As pessoas desse grupo possuem direito à "Identidade Jovem" (ou simplesmente, "ID Jovem") — um documento do Governo Federal que possibilita acesso aos benefícios de meia-entrada em eventos artístico-culturais e esportivos, além de vagas gratuitas ou com desconto (50%) no sistema de transporte coletivo interestadual.

De acordo com o Governo, "para obter uma ID Jovem é preciso ter entre 15 e 29 anos, ser pertencente à família com renda mensal de até dois salários mínimos e estar inscrito no Cadastro Único, com informações atualizadas há pelo menos 24 meses". A União reforça que "não é preciso ser estudante para ser beneficiário". No País todo, o IBGE contabiliza 50.803.219 jovens.

A ID Jovem garante o pagamento de meia-entrada (50%) do valor cobrado no ingresso ao público em geral – em eventos artístico-culturais e esportivos. Contudo, o serviço mais utilizado é o de deslocamento entre estados. "São reservadas, por viagem, duas vagas gratuitas em cada veículo, comboio ferroviário ou embarcação do serviço convencional de transporte interestadual de passageiros", destaca o Governo.

A universitária Karyne Lane, 22, soube da ID Jovem através de uma publicação no facebook do Senado Federal, e revela a experiência satisfatória com o serviço. "Todas as vezes que eu comprei, as empresas estavam cientes do nosso benefício. Nunca me negaram, e fizeram as exigências mínimas, que é (apresentar) o cartão impresso e a identidade. Mas eu sei que se a empresa negar, ela é obrigada a fornecer um 'termo de recusa', mostrando que não forneceu", comenta a estudante de Jornalismo da Universidade Federal do Ceará (UFC). 

Karyne utilizou a ID Jovem pela primeira vez em setembro de 2017, quando viajou para São Paulo (SP) e logo depois para Curitiba (PR). Desde então, a jovem foi a Juiz de Fora (MG), Rio de Janeiro (RJ), São Luís (MA), Juazeiro (BA), Petrolina (PE), e a última viagem foi para Belém (PA), no começo desse mês. A única crítica que a estudante faz é sobre a conflituosa relação entre procura e demanda, que ela tem presenciado ultimamente. "Se você deixa pra comprar em cima da hora, já não tem mais a vaga. Então, tem que comprar com bastante antecedência", revela a estudante. 

Nathália Martins, estudante de Serviço Social da Universidade Estadual do Ceará (Uece), ficou sabendo através das redes sociais também, e percebeu que se encaixava dentro do perfil de requisitos do documento. A jovem utilizou o serviço pela primeira vez em abril de 2017. "Quando eu fui na rodoviária comprar, a atendente (de uma empresa de ônibus) me informou que só poderia usar em ônibus convencional, não pode ser executivo. Mas eu conseguir ir ao Piauí, e foi muito massa porque consegui tirar ida e volta de graça", revela a jovem sobre a primeira viagem usando a ID Jovem. 

Além do Piauí, Nathália já viajou para Maceió, duas vezes também através da gratuidade fornecida pela ID Jovem. A estudante avalia como "ótima" a experiência com o benefício, apesar das dificuldades para conseguir passagens de ida e volta, na última vez que tentou. O único ponto negativo, para a jovem, é o serviço ser "restrito" por conta da quantidade de passagens. Apesar disto, Nathalia revela que a ID Jovem "já quebrou vários 'galhos' meus. Seja por encontros da faculdade, questões pessoais ou lazer, a minha experiência é ótima", conclui a estudante.

A ID Jovem existe em dois formatos: impresso e via aplicativo. As opções, até agora, estão disponíveis apenas para o sistema operacional Android. Mas, de acordo com a Secretaria Nacional de Juventude, "em breve deverá ser acessível via IOS e Windows Phone".

Como participar

Os interessados em adquirir o benefício precisam incluir ou atualizar os dados junto ao Centro de Referência de Assistência Social (Cras) ou o setor responsável pelo Cadastro Único da cidade onde reside. Também é importante saber o seu Número de Identificação Social (NIS). A numeração pode ser encontrada no Cartão Cidadão, no extrato do FGTS ou na Carteira de Trabalho.

Para obter o documento, basta acessar a página oficial do sistema e preencher informações como nome completo, nome da mãe, e-mail, telefone e NIS. É preciso, por fim, anexar uma foto.

(Colaborou Samuel Pinusa)

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.