Greve de professores da UFC é encerrada, grupo de professores questiona decisão

Atualizada às 15h16

13:15 · 22.08.2012 por Diário do Nordeste Online

Está decretado o fim da greve de professores na Universidade Federal do Ceará (UFC) e na Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab). A decisão saiu após assembleia realizada nesta quarta-feira (22) no campus do Pici, com 159 votos a favor do fim da greve, 5 votos contra e 11 abstenções, segundo o Sindicato dos  Docentes das Universidades Federais do Estado do Ceará (Adufc).

A decisão será levada à Reitoria da UFC, para que, a partir daí, seja elaborado um novo calendário letivo.

Professora critica encerramento em assembleia

Uma parte dos professores da Universidade criticou a decisão tomada nesta quarta-feira. Segundo a professora do curso de Comunicação Social da UFC, Liana Amaral, o fim da greve não estava entre os pontos de pauta da assembleia.

A professora enfatizou que o resultado do plebiscito realizado na segunda (13) e terça-feira (14), o qual registrou 818 votos contra o fim da greve e 707 a favor, não foi respeitado. Ela classificou a medida como "um golpe".

O edital de convocação para a Assembleia Geral Extraordinária previa como pauta de discussão o debate da contraproposta produzida pelo Comando Local de Greve para o Governo Federal.

Ao Diário do Nordeste, o vice-presidente da Adufc, Ricardo Thé, disse que nada foi feito de forma inconstitucional. Ele ressaltou que a decisão de incluir o fim da greve na pauta partiu dos próprios professores.

Os professores das universidades federais entraram em greve no dia 12 de junho, com duração de  70 dias.

Servidores ainda em greve

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores das Universidades Federais no Estado do Ceará (Sintufce), será realizada uma assembleia nesta quinta-feira (23) para decidir pelo fim ou pela continuidade da greve da categoria. A assembleia ocorrerá a partir das 14h30 no pátio da Reitoria.

Foto: Alex Costa/Arquivo

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.