Festival Audiovisual

Filme espanhol, com coprodução da França e Dinamarca, vence 28ª edição do Cine Ceará

O encerramento do festival contou ainda com a pré-estréia do primeiro capítulo da série "Cine Holliúdy: Francisgleydisson encara novos desafios", de Halder Gomes e Patrícia Pedrosa

09:29 · 12.08.2018 / atualizado às 10:30 por André Costa
Cine Ceará
A noite foi marcada pela entrega de premiações, além de homenagens e exibições especiais, como a pré-estréia do primeiro capítulo da série "Cine Holliúdy: Francisgleydisson encara novos desafios", de Halder Gomes e Patrícia Pedrosa. ( JL Rosa )

A 28ª edição do Cine Ceará - Festival Ibero-americano de Cinema, foi encerrada na noite de sábado (11) em cerimônia realizada no Cineteatro São Luiz, na Praça do Ferreira, Centro de Fortaleza. A noite foi marcada pela entrega de premiações, além de homenagens e exibições especiais, como a pré-estréia do primeiro capítulo da série "Cine Holliúdy: Francisgleydisson encara novos desafios", de Halder Gomes e Patrícia Pedrosa.

Wolney Oliveira, diretor do festival, avaliou de forma positiva os oito dias de evento e destacou “a mostra de cinema peruano, que teve uma intensidade espetacular, assim como os cursos de formação. Essa edição sem sombra de dúvidas foi uma das melhores dos últimos anos”. Wolney vibrou ainda com a segunda edição do Seminário Conne, que versa sobre a descentralização da produção audiovisual no Centro-Oeste, Norte e Nordeste do País e que este ano no contou com a participação do diretor-presidente da Ancine, Christian de Castro Oliveira.

O secretário de Cultura do Estado (Secult), Fabiano dos Santos Piúba, acrescentou que o Festival cumpre com o importante papel de fomentar e difundir a produção cinematográfica realizada no Ceará, além de atuar como instrumento de conexão entre o cinema cearense e o cinema ibero-americano. Para o cineasta e professor da Universidade de Fortaleza (Unifor), Glauber Paiva Filho, o grande público engajado todos os dias no Festival "mostra que o cinema cearense está consolidado e, para além disso, já passa a ser um polo de produção, como curtas e longas-metragem de altíssima qualidade". 

Vencedores

Diante de uma plateia vibrante, o longa-metragem “Petra” foi anunciado como o grande vencedor do Festival que fora iniciado no último dia 4. Além de melhor filme, cuja premiação foi de US$ 10 mil dólares, a coprodução Espanha-França-Dinamarca ganhou o Troféu Mucuripe nas categorias Melhor Direção para Jaime Rosales, Melhor Roteiro para Jaime Rosales, Michel Gaztambide e Clara Roquet e Melhor Ator, para Joan Botey. “Petra” também sagrou-se vencedor do Prêmio da Crítica, “pela elegância e pela competência técnica no casamento entre câmera e atuações, para subverter a linearidade da narrativa clássica, sem nunca se amparar nas surpresas da trama, nem deixar de seduzir e envolver o público com seus riscos formais”.

O longa cearense “O Barco”, de Petrus Cariry, foi agraciado com quatro prêmios: Melhor Fotografia, para Petrus Cariry; Melhor Trilha Sonora Original, para João Victor Barroso; Melhor som, para Yures Viana, Erico Paiva e Petrus Cariry; além de vencer o prêmio Olhar Universitário. Já o filme chileno “Cabras de Merda”, de Gonzalo Justiniano, ganhou nas categorias de Melhor Direção de Arte, para Carlos Garrido, e Melhor Atriz, para Natalia Aragonese. O filme “Diamantino”, com coprodução Portugal-França-Brasil, de Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt, foi o vencedor na categoria de Melhor Montagem para Raphaelle Martin-Holger.

Na Competitiva Brasileira de Curta-metragem, o filme “Nova Iorque”, de Leo Tabosa, ganhou o Troféu de Melhor Curta. Foi vencedor também do Prêmio da Crítica, concedido pelo júri da Abraccine “pelo equilíbrio entre a construção lúdica da infância e a aspereza atrelada à perda da inocência, e pela organicidade dos trabalhos de fotografia, som e direção de arte, além da criatividade narrativa de seus quadros”. O curta-metragem pernambucano recebeu ainda o Prêmio Mistika e o Prêmio Cia Rio. Já na categoria filmes captados em aparelhos celulares com até três minutos, o curta-metragem “Economize”, de Igor Cândido, sagrou-se vencedor.

Homenagens

Paulo Mendonça, diretor fundador do Canal Brasil, que em 2018 completa 20 anos de criação; e o Instituto de Cultura e Arte da Universidade Federal do Ceará (ICA), criado há dez anos, foram os homenageados na noite de encerramento do Festival. Para o vice-reitor da UFC, professor Custódio Luís Silva de Almeida, o Cine Ceará “é um festival pioneiro que representa a persistência e resistência da sétima arte no Estado”.  A noite foi encerrada com a exibição na Praça do Ferreira do filme "Os Trapalhões e o Mágico de Oróz", seguido por show musical da banda cearense "Os Transacionais".

Os Vencedores

Cada Gota Conta
Economize, de Igor Cândido

Mostra Olhar do Ceará
Cartuchos de Super Nintendo em Anéis de Saturno, de Leon Reis

Mostra Competitiva Brasileira de Curta-Metragem
Juri Oficial

Melhor Produção Cearense: A Canção de Alice, de Barbara Cariry
Melhor Roteiro: Sabrina Garcia, por Só Por Hoje
Melhor Direção: Lucas Rossi, por O vestido de Myriam
Melhor Curta-metragem: Nova Iorque, de Leo Tabosa

Prêmios Especiais
Prêmio da Crítica (Júri Abraccine): Nova Iorque, de Leo Tabosa 
Olhar Universitário: O Vestido de Myriam, de Lucas Rossi 
Troféu Samburá - Melhor diretor de curta-metragem: GuIlherme Gehr, por Plantae
Troféu Samburá - Melhor Curta-metragem: O Vestido de Myriam, de Lucas Rossi
Prêmio Aquisição Canal Brasil - Melhor Curta-metragem: O Vestido de Myriam, de Lucas Rossi.

Mostra Competitiva Ibero-Americana de Longa-Metragem
Juri Oficial  

Melhor Ator: Joan Botey, por Petra
Melhor Atriz: Natalia Aragonese, por Cabras de Merda
Melhor Direção de Arte: Carlos Garrido, por Cabras de Merda
Melhor Trilha sonora original: João Victor Barroso, por O Barco
Melhor Som: Yures Viana, Erico Paiva e Petrus Cariry, por O Barco
Melhor Montagem: Raphaelle Martin-Holger, por Diamantino
Melhor Fotografia: Petrus Cariry, por O Barco
Melhor Roteiro: Jaime Rosales, Michel Gaztambide, Clara Roquet, por Petra
Melhor Direção: Jaime Rosales, por Petra
Melhor Longa-metragem: Petra

Prêmios Especiais
Prêmio da Crítica (Júri Abraccine): Petra, de Jaime Rosales
Olhar Universitário: O Barco, de Petrus Cariry

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.