Com 400 equipamentos

Estações de bicicletas compartilhadas serão instaladas em 4 áreas de Fortaleza

Proposta da Prefeitura é que sejam implantados 17 pontos na Grande Aldeota, 16 entre Bezerra de Menezes – Benfica, 22 no trecho Centro – Praia de Iracema e 5 no trajeto Iguatemi – Unifor

11:29 · 10.09.2014
bicicletas compartilhadas
Estações do sistema de Bicicletas Compartilhadas devem começar a ser implantadas até o final de outubro em Fortaleza ( Divulgação )

Atualizada às 12h56

As primeiras estações do sistema de Bicicletas Compartilhadas de Fortaleza devem ser instaladas até outubro deste ano e devem ter, no mínimo, 400 bicicletas. O projeto prevê 17 pontos na Grande Aldeota, 16 entre Bezerra de Menezes – Benfica, 22 no trecho Centro – Praia de Iracema e 5 no trajeto Iguatemi – Universidade de Fortaleza (Unifor). 

Os dados foram anunciados nesta quarta-feira (10) pela Prefeitura de Fortaleza, que apresentou o edital para implantação do sistema. De acordo com a proposta apresentada, ganhará o edital a empresa que apresentar o maior número de estações, sendo 40 no mínimo.

A população terá 4 tipos de tarifa para utilizar o Sistema de Bicicletas Compartilhadas. O passe diário custa R$ 5; o mensal é R$10; e o passe anual R$60. Há ainda a tarifa gratuita que pode ser utilizada através da integração com o Bilhete Único, sendo a hora excedente de R$ 5.

O horário de retirada dos equipamentos será de 5h às 00h e de 24h para devolução. O passe dá direito a usos ilimitados de uma hora, desde que haja intervalos de 15 minutos. Para utilizar os meios de transporte, o usuário terá de se cadastrar por meio de um telefone, de um aplicativo para smartphones ou pelo site da Prefeitura. 

A liberação do uso da bicicleta será feita pelo aplicativo ou pelo telefone, por meio do qual o usuário deverá informar o seu número de cadastro. 

Monitoramento e estrutura das bicicletas evitará furtos, diz secretário 

"Eu estive em Recife e lá já se opera o sistema há um ano. Sabe quantos furtos houve lá? Nenhum.", afirma o secretário de Conservação e Serviços Públicos, Luiz Alberto Sabóia. Assim, a expectativa da Prefeitura é de que os usuários respeitem o sistema e não furtem os veículos com base nas experiências de sistemas semelhantes já implantados em outras cidades do país.  

Além disso, os meios de transporte terão peças exclusivas, que não servirão para as bilicletas convencionais, segundo ele. "Se a pessoa furtar a bicicleta para usar, ela é facilmente identificável, pois é diferente de todas as outras".

A empresa que vencer o edital também será responsável por monitorar o tempo de permanência do usuário com o veículo. "Tem um limite de cerca de 3h. Passado ele, a  a empresa que está monitorando já estará ligando para você. Na pior das hipóteses, você vai ser cobrado pelo seu cartão de crédito", explica o secretário.  

16 km de estruturas cicloviárias serão concluídas até o final do ano

A prefeitura prevê um total de 16 km de estruturas cicloviárias concluidas até o final do ano. As vias ciclísticas estarão vinculadas ao sistema de Bicicletas Compartilhadas e as obras serão aceleradas nos próximos meses para que sejam finalizadas dentro do prazo, segundo Sabóia. 

Estão inclusas nessa meta cliclofaixas na Rua Carlos Vasconcelos e Av. Raul Barbosa, além da expansão das que já existem na Av. Santos Dumont e na Rua Ana Bilhar

*Com informações do repórter Murilo Viana 

Comentários


Li e aceito os termos de regulamento para moderação de comentários do site.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.