Imunização contra influenza

Em meio à corrida por vacinas, profissionais relatam dificuldade em negar doses a não prioritários

Em posto de saúde no Benfica, triagem é feita para priorizar profissionais que trabalham diretamente nas unidades de saúde

10:23 · 22.04.2018 / atualizado às 11:53
Profissionais que trabalham em unidades de saúde, gestantes, idosos e crianças integram grupo prioritário estabelecido pelo Ministério da Saúde ( Foto: Jéssica Colaço )

Com apenas 20% das 2 milhões de doses de vacina contra a influenza liberadas pelo Ministério da Saúde, profissionais nos postos de Fortaleza têm precisado negar vacinação a quem não está inserido nos grupos prioritários, para garantir que todo o público alvo da campanha seja atendido.

"Os postos de saúde estão passando por uma dificuldade que é explicar para a população sobre o número reduzido de vacinas", diz coordenadora do Posto de Saúde Irmã Hercília Aragão, Maria Eli Lima Sousa, no Joaquim Távora.

Ela diz ainda que o grupo que mais busca vacinas - e nem todos podem ser atendidos nesse primeiro momento - é o dos profissionais de saúde. Apesar de a categoria fazer parte do grupo prioritário, funcionários relatam uma confusão entre quem é profissional da saúde e quem trabalha diretamente nas unidades.

A determinação é que todos os profissionais de saúde (o que inclui desde médicos e especialistas a pessoas que lidam diretamente com esse trabalho, a exemplo de porteiros e zeladores) sejam vacinados. No entanto, devido à quantidade reduzida de doses que veio para a Capital, os postos estão priorizando as pessoas que trabalham em hospitais e podem estar em contato direto com o vírus.

"A Prefeitura não deixou claro para eles que esses profissionais serão imunizados em seus locais de trabalho, mas todos eles estão vindo para os postos e não tem vacina suficiente", destaca a coordenadora da unidade Irmã Hercília Aragão.

Maria Eli acrescenta que a busca pelas doses tem sido tão urgente que até mesmo pacientes que receberiam as vacinas por meio de visita domiciliar, como idosos e cadeirantes, estão se deslocando até o posto por conta própria.

A coordenadora de saúde da Regional VI, Meg Saraiva, reforça que o grupo de profissionais está sendo vacinado nos locais de trabalho, tanto em hospitais públicos como em particulares, que recebem doses desde a quinta-feira (18). Ela avalia a movimentação no Posto de Saúde de Messejana como tranquila. Só ontem (21), a unidade imunizou cerca de 2.500 pessoas na campanha da H1N1 e o perfil de procura era bastante equilibrado entre idosos e crianças.

Hoje, na unidade da Messejana, cerca de 400 pessoas já foram vacinadas. A expectativa é que a circulação de pessoas continue tranquila até o fim do dia. A cabeleireira Débora Suani Chves, de 33 anos, levou o filho de 4 anos e a enteada de 22 anos com problema cardíaco - e, por isso, faz parte do grupo prioritário - para tomar a vacina. "Vim no domingo porque já imagino que durante a semana a procura vai ser muito maior. Meu marido é transplantado e também já se vacinou", disse.

'Serviço rápido'

A aposentada Noemia Pereira, de 82 anos, buscou imunização neste domingo (22) perto de casa, no Posto Doutor Luis Costa, no bairro Benfica. Ela foi acompanhada da filha, de 60 anos, que também tem direito à dose.

"O atendimento foi bastante rápido. Na minha família, todos estão com medo e amanhã meus dois netos vão vir se vacinar", disse Noemia.

Triagem

No Posto Doutor Luis Costa, no Benfica, uma triagem busca evitar que pessoas do grupo não prioritário percam tempo na fila para ter a dose negada.

No local, entre os profissionais da saúde, uma triagem também está sendo feita para identificar quem é profissional da área e/ou quem trabalha em unidade de saúde, incluindo funcionários que prestam serviço no local.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza (SMS), os postos que estão abertos neste domingo, das 8h às 17h, são: 

1. Posto de Saúde Carlos Ribeiro
R. Jacinto Matos, 944 - Jacarecanga
Telefone: (85) 3452-6376

2. Posto de Saúde Paulo Marcelo
Rua Vinte Cinco de Março, 607 - Centro
Telefone: (85) 3105-1455 

3. Posto de Saúde Irmã Hercilia Aragão
Rua Frei Vidal, 1821 - São João do Tauape
Telefone: (85) 3452-1883 

4. Posto de Saúde Anastácio Magalhães
Rua Delmiro de Farias, 1670 - Rodolfo Teófilo
Telefone: (85) 3433-2560 

5. Posto de Saúde Dr. Luís Costa
Rua Jorge Dumar, 1501 - Benfica
Telefone: (85) 3131-7677 

6. Posto de Saúde José Paracampos
Rua Alfredo Mamede, 250 - Mondubim
Telefone: (85) 3433-4927 

7. Posto de Saúde de Messejana
Rua Cel. Guilherme Alencar, s/n - Messejana
Telefone: (85) 3474-2637

Cuidados

Além da imunização, a população deve adotar cuidados básicos para evitar a influenza, como: lavar as mãos com água e sabão com frequência; evitar levar as mãos ao rosto após pegar em maçanetas, corrimão de escadas, botões de elevadores; sempre que possível, utilizar álcool em gel a 70%; manter os ambientes bem ventilados e evitar aglomerações; usar máscaras descartáveis caso apresente sintomas de gripe ou ao entrar em contato com pessoas doentes.

SERVIÇOS
Quem deve se vacinar:

  • Pessoas com idade de 60 anos ou mais
  • Crianças de 6 meses a menos de 5 anos de idade
  • Gestantes
  • Mulheres com até 45 dias de parto
  • Doentes crônicos
  • Trabalhadores da área de saúde
  • População indígena
  • Adolescentes e jovens sob medidas educativas
  • População carcerária e funcionários do sistema prisional
  • Professores de escolas públicas e particulares

 

arte

 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.