Sonho

Crianças de Quiterianópolis tomam banho de mar pela primeira vez

Projeto da Marinha trouxe 47 estudantes de uma escola pública do Município para conhecer sobre a história da Instituição de 195 anos

11:22 · 19.08.2018 / atualizado às 11:23
criança mar quiterianópolis
Na bagagem, histórias de vida que desaguam no mar da Capital - sonho de muitos que pela primeira observaram o encontro da água com o céu no horizonte cearense ( Foto: Rodrigo Gadelha )

A 408 Km de Fortaleza, um grupo de 47 crianças saiu de Quiterianópolis a fim de adquirir um pouco mais de conhecimento em um fim de semana. Na bagagem, histórias de vida que desaguam no mar da Capital - sonho de muitos que pela primeira sentiram o encontro da água com o corpo.

Como é o caso da estudante Eva Larissa Sousa Lira, 12, que não havia visto o mar desde que nasceu. "Foi emocionante, uma surpresa. Nunca tinha andado no mar; quando eu cheguei, deu logo vontade de correr", conta, enquanto sai andando pela praia pisando na areia fofa molhada. 

Ela e outras 46 crianças da Escola de Ensino Infantil e Fundamental Anízio Frota, da localidade de São Francisco, na zona rural do Município, foram trazidas pela Marinha Brasileira após um trabalho realizado no colégio sobre a Instituição Militar de 195 anos.

Estudantes visitam navio da Marinha atracado em Fortaleza

De acordo com a diretora da escola, Emiliana Shirley Torres, "os relatos são todos tímidos, mas dizem 'tia, nós nunca imaginamos conhecer o mar, de andar em um barco, conhecer um navio' - ontem ficou todo mundo surpreso", explica.

A ação, segundo o Capitão dos Portos, Madson Cardoso Santana, "tem seu auge no encontro das crianças com o mar. A maioria nunca teve contato e está tendo a oportunidade hoje de conhecer e ter esse contato com nosso mar, que é tão importante", ressaltou. 

Ainda neste domingo (19), as crianças da Escola Anízio Frota devem fazer um passeio de escuna pela orla do Mucuripe, como última ação do fim de semana promovido pela Marinha Brasileira.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.