Corpus Christi é celebrado com programação especial em Fortaleza

A Catedral Metropolitana e a Igreja Cristo Rei terão procissão e exposição dos tapetes tradicionais do feriado

18:29 · 30.05.2018

Corpus Christi significa, em latim, corpo de Cristo, e, segundo as tradições da Igreja Católica, no feriado desta quinta-feira (31) é comemorada a festa do corpo e sangue de Jesus, ou seja, celebrado o mistério da presença de Cristo na Eucaristia. Em Fortaleza, as principais igrejas da Capital, como a Catedral Metropolitana e a Igreja Cristo Rei, celebrarão a tradição com procissões e os característicos tapetes coloridos de areia, pedras, algodão, flores e serragem durante o feriado. 

A Catedral Metropolitana recebe a maior procissão da cidade. A programação tem início no Santuário da Paróquia São Benedito, na Avenida Imperador, Centro de Fortaleza. A partir do meio-dia, começa a adoração ao Santíssimo Sacramento da Eucaristia, momento de contemplação da hóstia consagrada que é o corpo de Cristo. Após a adoração, o arcebispo de Fortaleza, Dom José Antônio, celebrará na igreja a Santa Missa, às 16 horas. De lá, os fiéis são convidados a participar da procissão de Corpus Christi, que sai do Santuário de São Benedito e segue até a Catedral Metropolitana. Com a chegada dos partícipes à Catedral, haverá outra celebração por volta das 18 horas, a depender da chegada da procissão, ministrada pelo pároco Padre Clairton Oliveira. 

Na Igreja Cristo Rei, os tapetes coloridos são uma das principais tradições da festa, já realizada há 15 anos. A igreja é uma das que recebe mais fiéis no dia de Corpus Christi e, neste ano, deve receber mais de cinco mil pessoas. Às 17 horas, a igreja dá início à celebração da Santa Missa, e, ao final, todos os fiéis devem seguir em procissão por cerca de cinco ruas próximas à paróquia, como a Avenida Santos Dumont e a Rua Costa Barros. Após o cortejo, os fiéis retornam à igreja. 

O Colégio Santo Inácio, que também promove a celebração de Corpus Christi anualmente, teve programação especial aberta à comunidade já nesta quarta-feira (29). Os próprios alunos da escola confeccionaram os tapetes coloridos para, por meio da arte e da criatividade, manifestar sua fé. Segundo o diretor pastoral do Colégio, padre Eugênio Pacelli, os desenhos dos tapetes neste ano "diz muito da realidade que estamos vivenciando". "Os alunos tiveram a experiencia de adoração e manifestaram retratando temas da realidade do País, como a violência contra a mulher, a ausência de paz... Eles, como jovens, querem atualizar essa festa para o mundo de hoje", explica o padre. Às 11 horas da manhã, foi aberta a exposição e visitação dos tapetes coloridos e, às 19h, há celebração solene aberta ao público na quadra do Colégio, seguida de procissão. 

História 

O feriado de Corpus Christi teve origem em Liège, na Bélgica, em junho de 1246, após vários apelos de Santa Juliana, cujas visões foram interpretadas como a necessidade da instituição de uma festa em honra ao Santíssimo Sacramento. Em outubro de 1264, o Papa Urbano IV estendeu a solenidade para toda a Igreja. Segundo padre Eugênio, a festa de Corpus Christi "tira o Santíssimo da igreja e o leva até a sociedade, como se convidasse Jesus para participar do dia-a-dia de seus fiéis". Segundo ele, a tradição dos tapetes "é muito do povo devoto demonstrando seu respeito, adoração e reconhecimento desse Cristo, que passa através dos tapetes".  

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.