Religiosidade

Com procissões e tradicionais tapetes, católicos celebram do Dia de Corpus Christi em Fortaleza

Na Capital, pelo menos 13 paróquias mantêm a tradição iniciada no século XIII, na Bélgica, de confecção de tapetes coloridos

Na Paróquia Cristo Rei, na Aldeota, um tapete de 35 metros de comprimento e 2,5 metros de largura, enfeita o corredor central da igreja. ( Foto: Thiago Gadelha )
18:16 · 31.05.2018 / atualizado às 18:33

Igrejas lotadas e diversas paróquias mantendo a tradição de confeccionar tapetes coloridos feitos, dentre outros materiais, de pedras, areia e serragens. Assim tem sido a celebração do Dia de Corpus Christi, em Fortaleza, nesta quinta-feira (31).

As solenidades que, para os católicos, marcam a festa do “Corpo e Sangue de Cristo”, chamada em latim de Corpus Christi, fazem alusão à quinta-feira santa quando Jesus instituiu o sacramento da eucaristia. Segundo a Arquidiocese de Fortaleza, na Capital, pelo menos 13 paróquias mantêm a tradição de confecção dos tapetes, iniciada no século XIII, na Bélgica.

Na Paróquia Cristo Rei, na Aldeota, onde a celebração teve início às 17h, um tapete de 35 metros de comprimento e dois e meio de largura, enfeita o corredor central da igreja. Conforme o pároco da instituição, Nonato Resende, o tapete foi confeccionado por integrantes das pastorais, como a de casais, das crianças e de leitores. 

Em 2018, a paróquia, segundo o padre, optou por homenagear o ano do laicato, instituído pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Os leigos, explica ele, são pessoas dedicadas a serviços básicos nas comunidades de fé. O padre reforça que a data uma clara mensagem: “A festa de  Corpus Christi é a festa da eucaristia. Nós reconhecemos Jesus como nosso rei, mas só tem sentido se nós conseguirmos adorar Jesus na eucaristia se nós adorarmos também no irmão, especialmente o irmão marginalizado”. 

Integrante do Encontro de Casais com Cristo (ECC) na Paróquia do Cristo Rei, o contador Marcos Andrett é um dos produtores do tradicional tapete de areia colorida. Para ele, o dia é de festa e de reafirmação da crença no sacramento da eucaristia. “É momento de celebrar a vida. Se engajar para fazer um mundo melhor”, ressalta.  

No Centro, na Paróquia de São Benedito, o vigário Episcopal da Região Metropolitana São José, padre Francisco Bezerra celebrou uma missa, no final da tarde desta quinta-feira, e representou o arcebispo de Fortaleza, Dom José Antonio Aparecido Tosi , que, conforme a Arquidiocese, se recupera de um problema de saúde. Fieis seguem em procissão para a Catedral onde ocorrerá a bênção solene do Santíssimo Sacramento

As paróquias São Vicente de Paulo (Dionísio Torres), Nossa Senhora Aparecida (Paria do Futuro),  Nossa Senhora do Carmo (Centro),  Nossa Senhora do Perpétuo Socorro (Carlito Pamplona), Nossa Senhora de Fátima (Álvaro Weyne), São Pedro e São Paulo (Quintino Cunha), Santo Antônio de Pádua (Planalto Pici), Santa Terezinha (Vicente Pinzon), São Francisco de Assis (Canindezinho), Nossa Senhora das Dores (Otávio Bonfim), Nossa Senhora de Nazaré e Nossa Senhora Aparecida, no Montese, também guardam a tradição de confecção dos tapetes. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.