ORGULHO

Cearenses representam o Brasil na Olimpíada Internacional de Matemática

Entre os estudantes, há ainda um pernambucano que estuda em Fortaleza; resultado dos nordestinos não surpreende professores: "É uma tradição bastante antiga”

08:15 · 16.06.2017 / atualizado às 08:26 por MEC e Agência Brasil
Olimpíada Internacional de Matemática
Seis estudantes vão representar o Brasil na Olimpíada Internacional de Matemática, que será realizada entre 17 e 23 de julho, no Rio de Janeiro ( FOTO: Impa )

Dois estudantes cearenses e ainda um pernambucano que estuda em Fortaleza, junto a mais dois alunos de São Paulo e Minas Gerais, integrarão a equipe brasileira na Olimpíada Internacional de Matemática.

Com idades entre 16 e 19 anos, eles foram apresentados nesta semana durante o anúncio oficial do Biênio da Matemática Brasil 2017-2018, no Rio de Janeiro. São eles: João César Campos Vargas (MG), Pedro Henrique Sacramento de Oliveira (SP), George Lucas Diniz Alencar (CE), André Yuji Hisatsuga (SP), Bruno Brasil Meinhart (CE) e Davi Cavalcanti Sena (PE), todos medalhistas em competições nacionais e internacionais da área.

Pela terceira vez em uma Olimpíada Internacional de Matemática, o paulista Pedro Henrique, 17 anos, disse que já esperava integrar a equipe e a meta para este ano é conquistar o ouro. Ele afirma que as participações anteriores na IMO foram essenciais para garantir o ingresso na instituição norte-americana. “As olimpíadas foram importantes porque abriram muitas portas em muitos sentidos. Além de eu ter conhecido muitas pessoas que tinham o mesmo gosto que eu por matemática, me permitiu ver que tinha algo além do que eu estudava na escola”, ressaltou.

Também na expectativa do ouro, o pernambucano Davi Cavalcanti chegou a mudar de estado para poder se preparar para a competição. Trocou Recife por Fortaleza, onde recebeu uma bolsa de estudos no terceiro ano do ensino médio, com foco nas medalhas em olimpíadas do conhecimento. “A minha preparação se concentra basicamente na resolução de problemas. A olimpíada não é algo muito técnico; é mais uma esperteza de raciocínio que, se você tem, consegue resolver os problemas. Então, treinar bastante acaba sendo essencial para obter um bom resultado”, destacou.

Davi Cavalcanti Sena e Bruno Brasil Meinhart são os mais jovens do time, com 16 anos. Além de terem a mesma idade, eles cursam o ensino médio no Ari de Sá Cavalcanti, em Fortaleza.

Líderes nordestinos

A participação dos nordestinos, segundo o diretor do  Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), Marcelo Viana, segue uma tradição. "Não chega a ser surpreendente", diz ele. "É uma tradição bastante antiga. Algumas escolas, sobretudo de Fortaleza e de Recife, são escolas tradicionais e que sempre se empenharam no apoio aos alunos. E a escola tem um papel fundamental".

Além dos alunos, o professor alagoano Krerley Irraciel Martins é o líder da delegação, e o cearense Frederico Vale Girão, o vice-líder.

Internacional

É a primeira vez que o Brasil sedia uma Olimpíada Internacional de Matemática. Os estudantes da equipe brasileira foram escolhidos pelo IMPA e pela Sociedade Brasileira de Matemática (SBM). A seleção ocorreu dentro de um grupo de 30 alunos do ensino médio que vinham recebendo treinamento intensivo para a prova desde o ano passado.

Biênio

Instituído por lei e com o apoio dos ministérios da Educação e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), o Biênio da Matemática Brasil 2017-2018 tem como meta mostrar a importância da matemática na vida de todos, a partir de uma série de atividades realizadas no país ao longo dos próximos dois anos. Como novidade, traz o lançamento do Troféu Impa Meninas Olímpicas, iniciativa inédita no Brasil para reduzir barreiras ao acesso à disciplina.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.