Arbovirose

Ceará registra primeira morte por chikungunya este ano

Com esse óbito, o número de mortes por arbovirores transmitida pelo mosquito Aedes aegypti chegou a 10 no Estado

15:47 · 14.09.2018 / atualizado às 16:04
aedes
Eliminar focos do mosquito Aedes aegypti é ação fundamental para evitar a proliferação das arboviroses ( Foto: Arquivo Diário do Nordeste )

O Ceará registrou o primeiro óbito por chikungunya em 2018. A morte ocorreu em Fortaleza, conforme informações do Boletim de Doenças de Notificação Compúlsória divulgado semanalmente pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesa).

O levantamento refere-se às notificações registradas até o dia 8 de setembro, perído registrado como 36ª semana epidemiológica. Segundo informações do boletim, este ano foram notificados 1.194 casos de Chikungunya no Estado. Desse total, 485 casos foram em Fortaleza, que também registrou o único óbito.  

Já os casos de zika vírus foram contabilizados 33 na população geral e 4 em gestantes. O Estado também teve, até a 36ª semana epidemiológica, 2.884 casos de dengue, 20 casos de dengue grave e nove óbitos. 
 
Entre janeiro e junho, os casos de mortes por arboviroses no Ceará apresentaram redução de 95%, conforme noticiou o Diário do Nordeste. A queda, no período, foi de 95% dos óbitos por dengue, chikungunya e zika. Em 2017, as três doenças juntas mataram 208 pacientes. 
  

Dados até a 36ª Semana Epidemiológica:  

Chikungunya
Óbito - 1
Casos - 1.194

Dengue
Óbito - 9
Casos  graves- 20
Casos - 2.884
 
Zika Vírus
Casos em gestantes - 4 
Casos - 33

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.