Cenário

Ceará reduz em 65% número de municípios em risco de infestação do Aedes aegypti

Primeiro Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) de 2018 aponta 19 localidades com alto índice de infestação

15:36 · 13.03.2018 / atualizado às 16:29
Mosquito
Estão aptos a realizar o levantamento municípios com mais de 2 mil imóveis na zona urbana. ( Foto: Diário do Nordeste )

Dos 183 municípios cearenses que realizaram o primeiro Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) deste ano, 19 (10,38%) estão com alta infestação para o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika, segundo boletim divulgado nesta terça-feira (13) pela Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa).

Em relação ao mesmo período de 2017, no entanto, houve uma redução proporcional de 65,85%, ja que, na época, 45 municípios estavam em situação de risco. São classificados nessa condição as localidades com Índice de Infestação Predial (IIP) acima de 4% dos imóveis.

> LEIA TAMBÉM: Chikungunya tem redução de 85% nos casos da Capital

Em situação de alerta (média infestação) são aqueles em que o IIP está entre 1% e 3,9%, atingindo 64 (34,97%) municípios do Estado. Já em baixa infestação, considerada satisfatória, estão classificados 100 (54,64%) cidades, aumento de 44,43% em relação ao mesmo período de 2017, quando apenas 56 municípios estavam com IIP abaixo de 1%.

O que é o LIRAa

O LIRAa é um método amostral que tem como objetivo principal a obtenção de indicadores entomológicos de maneira rápida. Estão aptos a realizar o levantamento municípios com mais de 2 mil imóveis na zona urbana. Aqueles com imóveis abaixo deste limite realizam o Levantamento de Índice Amostral (LIA), conforme descrito nas “Diretrizes Nacionais de Prevenção e Controle da Dengue”. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.