10º dia de greve

Caminhoneiros voltam a bloquear parcialmente trechos de rodovias federais no Ceará

Caminhões estão parados nos dois sentidos do km 6 da BR-222, além do km 15 da BR-116. Outros três bloqueios são registrados nas CEs.

10:33 · 30.05.2018 / atualizado às 19:35
Ao todo, cerca de 50 caminhões ocupam os dois sentidos da BR-222, bloqueando parcialmente o tráfego de quem pretende ir para Fortaleza ou Caucaia ( Foto: José Leomar )

Em seu 10º dia, a paralisação nacional dos caminhoneiros segue gerando bloqueios parciais em rodovias federais que cruzam a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) e em outros quatros trechos em CE's no Interior. Nesta quarta-feira (30), manifestantes voltaram a ocupar o quilômetro (km) 6 da BR-222, em Caucaia, além do km 15 da BR-116, em Itaitinga, e o km 70, também na BR-116, em Chorozinho, que já foi liberada. 

Em relatório divulgado às 17h desta quarta, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) informa que o Ceará possui 4 pontos de bloqueios nas rodovias federais e outros 47 já foram liberados. Ao todo, no País, são 267 pontos de aglomeração em pontos próximos às rodovias federais.

Em Caucaia, cerca de 50 caminhões ocuparam os dois sentidos da BR-222, bloqueando parcialmente o tráfego de quem pretendia ir para Fortaleza ou Caucaia. Ao longo da manhã, os manifestantes obrigavam outros caminhoneiros a pararem no local, com exceção de cargas perecíveis e rações para animais, que eram liberadas. Motoristas de aplicativos de transporte também deram apoio ao ato.

Estradas cearenses ainda apresentam bloqueios

O Governo do Estado confirmou, por meio de nota, que a Polícia Rodoviária Estadual (PRE) acompanhou obstruções em três CE's: 123 (Quixeré), 187 (Guaraciaba do Norte) e 176 (Arneiroz). "Desde o início do movimento, há uma semana, os policiais realizam diariamente dezenas de escoltas de caminhões, além de trabalharem na desobstrução de estradas no Ceará", informa.

O Batalhão de Policiamento Rodoviário Estadual (BPRE) informou que a CE-155 (Pecém) se encontrava com bloqueios, mas na tarde desta quarta-feira (30) tudo já estava liberado para a circulação dos motoristas. Apenas trinta caminhões estavam parados no acostamento próximo ao Completo do Pécem, mas sem tendas, como é possível ver na foto abaixo. Duas viaturas do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) faziam a ronda no local.

12

CE-155 está com o trânsito liberado Foto: Thiago Gadelha

 

 

Leia ainda:

> Petroleiros do Estado querem parar a Lubnor 
> PIB da pecuária do Ceará sofre perda de R$ 43,5 mi 
> CNDL pede preços estáveis, e CNI apela pelo fim do movimento 
> Indústria química começa a parar hoje no Estado 
> 12 tipos de hortaliças e frutas já estão em falta 

Caminhoneiros insatisfeitos

Apesar de ser um movimento nacional da categoria, alguns caminhoneiros se sentem prejudicados ao serem parados nos bloqueios. Na BR-222, por exemplo, o motorista Ricardo Trigueiro, que tem uma carga de cosméticos para entregar em Fortlaleza, disse que foi obrigado a parar. Segundo ele, mesmo pedindo auxílio aos policiais rodoviários, nada foi feito para retirar seu veículo.

Em um momento tenso na manhã desta quarta, manifestantes também chegaram a fazer um carro particular de escudo para impedir a passagem de caminhoneiros que se negaram a participar do ato. A reportagem registrou, inclusive, manifestantes ameaçando esvaziar pneus e quebrar vidros dos veículos que se recusavam a parar.

Itaitinga: sem horário para terminar

No km 15 da BR-116, em Itaitinga, o protesto também contava com 50 caminhões parados nos dois sentidos da rodovia, tendo a manifestação começado por volta de 9h da manhã. Segundo um dos manifestantes, que não quis se identificar, o ato não tem hora para acabar. "Nossa intenção é a redução do diesel e dos outros combustíveis. O governo disse que baixou, mas ainda não vimos isso nas bombas", ressaltou.

No km 18 da BR-116, na tarde de quarta, ainda havia concentração de caminhões, mas o fluxo seguia nos dois sentidos, apesar de o trânsito está lento. Algumas viaturas da PRF estão no local acompanhando a movimentação.

De acordo com manifestantes, todos os veículos de carga que transportam medicamentos, animais e produtos perecíveis estão sendo liberados, além de ambulâncias. Segundo eles, a PRF orientou os caminhoneiros a não queimarem pneus e fazerem um ato pacífico, como segue acontecendo na BR-116. No local, o trânsito flui, apesar de apenas uma faixa estar liberada em ambos os sentidos. 

Chorozinho: bloqueios retirados

Na BR-116, na altura do km 70, no município de Chorozinho, os manifestantes já não bloqueiam a via, mas a mobilização continua. No local ainda há a presença de caminhoneiros e cerca de 1.000 caminhões continuam estacionados no acostamento da rodovia. Até o início da manhã desta quarta-feira (30), os caminhoneiros que participavam do ato ainda impediam a passagem de veículos de carga, no entanto, a situação foi normalizada e a estrada liberada para todos os veículos.

Na noite desta quarta, 40 caminhões ainda estavam em Chorozinho, mas o trânsito já estava tranquilo.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.