Protesto

Caminhoneiros fazem nova carreata em Fortaleza contra o aumento do preço do diesel

O ponto de partida da carreata foi a Arena Castelão e seguiu por diversas avenidas

16:50 · 23.05.2018 / atualizado às 17:49 por Redação Diário do Nordeste/Folhapress
casminaho
Foto: Kid Júnior

Pelo terceiro dia consecutivo, os caminhoneiros se manifestam contra o aumento do preço dos combustíveis. Nesta quarta-feira (23), o grupo fez uma carreata por diversas ruas da Capital Cearense. Ao todo, são mais de 40 caminhões reboques participando do percurso. Eles são caminhoneiros autônomos e alegam que estão sendo prejudicados com a alta do diesel. 

O ponto de partida foi a Arena Castelão e o trajeto passou pelas avenidas Alberto Craveiro, Raul Barbosa, Desembargador Moreira, contornando a Praça Portugal e fazendo o trajeto de volta, retornando ao estádio. 

Desde segunda-feira (21), os caminhoneiros se mobilizam em protesto contra o aumento no preço do diesel. Os atos também foram registrados em outros estados pelo País. Nos últimos 12 meses, o combustível subiu 15,9% nos postos brasileiros. 

Na segunda (21), os caminhoneiros bloquearam o Anel Viário, perto da Ceasa, causando um grande congestionamento. Na terça (22), o bloqueio aconteceu na BR-116

Sem acordo

A reunião na Casa Civil nesta quarta-feira (23) entre Abcam (Associação Brasileira de Caminhoneiros) e governo federal terminou sem acordo.

A associação se encontrou com representantes da União para decidir se iria manter a greve que paralisa estradas pelo Brasil desde segunda. Os caminhoneiros planejam manter a manifestação pelo menos até sexta-feira.

Estavam presentes o ministro dos Transportes, Valter Casemiro, o ministro da secretaria de governo Carlos Marun e o diretor geral da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), Mário Rodrigues.

O presidente da associação, José Fonseca Lopes, divulgará os resultados do encontro ainda nesta quarta em Brasília.

Morte e agressões

As manifestações de caminhoneiros espalhadas no país já acumulam morte, agressões, brigas entre motoristas e veículos danificados em três dias de atos, especialmente em São Paulo, Minas Gerais e Paraná.

Nesta quarta-feira (23), um caminhoneiro sofreu agressão ao tentar furar o bloqueio de manifestantes na rodovia Comandante João Ribeiro de Barros, em Tupã. O grupo fazia paralisação contra a política de reajustes do óleo diesel.
 
Em Minas Gerais, um motorista foi atropelado em Juiz de Fora enquanto tentava convencer outros caminhoneiros a participarem da greve.
 
Conforme a polícia, o motorista que estava no caminhão se recusou a parar e acelerou, atropelando o grevista, que foi socorrido.
 
Antes, na tarde de segunda-feira (21), primeiro dia de protestos, um homem morreu no Paraná após ser atropelado acidentalmente na BR-376, em Paranavaí, durante um bloqueio.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.