Meio Ambiente

Beira-Mar da Capital recebe ação mundial de limpeza

Cerca de 150 países iniciaram a mobilização para a realização das 24 horas do Dia Mundial da Limpeza (em inglês, "World Cleanup Day")

A ação foi iniciada na altura do espigão da Avenida Desembargador Moreira e seguiu por cerca de 2 Km até o Mercado dos Peixes, na orla da Cidade ( Foto: Rodrigo Gadelha )
10:56 · 15.09.2018 / atualizado às 14:02

O sábado de praia amanheceu diferente neste 15 de setembro. Isso porque cerca de 150 países iniciaram a mobilização para a realização das 24 horas do Dia Mundial da Limpeza (em inglês, "World Cleanup Day"), cujo objetivo é diminuir a quantidade de resíduos sólidos no globo e conscientizar a população sobre formas corretas de descarte. 

A Capital cearense não poderia ficar de fora, por isso, durante todo o dia, ações encabeçadas por universidades e organizações da sociedade civil demarcaram pontos específicos para atuarem em mobilizações socioambientalmente corretas. 

Na Avenida Beira-Mar, cerca de 50 estudantes de vários cursos da Universidade Maurício de Nassau (Uninassau) se reuniram com luvas e sacos plásticos para fazer parte do #15desetembro.

A ação foi iniciada na altura do espigão da Avenida Desembargador Moreira e seguiu por cerca de 2 Km até o Mercado dos Peixes, na orla da Cidade. No local, um caminhão de pequeno porte viabilizado pela Prefeitura de Fortaleza foi colocado para receber o material coletado pelos estudantes e professores da Instituição de Ensino Superior.

Responsabilidade

De acordo com a assistente social e professora da Universidade Juliana Bezerra, o projeto é importante para colocar em prática a teoria de sala de aula e fazer os estudantes vivenciarem a responsabilidade com o meio ambiente. 

"Estar em um sábado de manhã às 8h na praia coletando lixo num dia em que o mundo inteiro está se preocupando em limpar a praia é importante porque nós estamos hoje pensando no amanhã", ressalta, ao lembrar que os alunos haviam ficado espantados com a coleta de uma porta de geladeira descartada na praia.

Problemas 

Conforme a bióloga e professora Maria Isaura Oliveira, ações de limpeza de praias e corpos d'água são relevantes para os próprios seres humanos. "É importante porque nos precisamos estar com o fotossistema, onde temos as algas - as maiores produtoras de oxigênio do planeta. Precisamos estar com nossa praia limpa para que elas possam, de maneira sustentável, produzir oxigênio pra gente", pontua. 

Além disso, a bióloga ainda considera que o descarte incorreto de resíduos na praia pode acarretar na interferência na cadeira alimentar de animais marinhos, como as tartarugas, bem como afetar o solo. "A limpeza é de extrema importância porque o resto de alimento vai trazer microorganismos e vai contaminar o lençol freático nas proximidades da praia", adverte.

Para a estudante de pedagogia, Tatiana Medeiros, 19, que abraçou a proposta no instante no qual foi sugerida pela coordenação da Universidade, o projeto é nobre e pode ajudar a modificar a visão das pessoas. 

"Tem gente que pega o seu lixo e não se importa em guardar consigo para jogar em um local adequado, então o projeto em si serve não só para limpar as praias, mas para mostrar para a sociedade e para as pessoas", acredita a futura pedagoga.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.