HOMENAGEM

Aos 8 anos, menina de Maranguape emociona ao declamar cordel sobre a Lei Maria da Penha; vídeo

Samya Abreu foi convidada pela Prefeitura de Maranguape, a declamar o cordel no dia da celebração de 12 anos da Lei Maria da Penha, na Casa da Mulher Brasileira

13:09 · 13.08.2018 / atualizado às 15:13
Samya Abreu
Samya Abreu tem oito anos de idade e já possui 15 cordéis decorados ( Foto: Instagram/reprodução )

"Toda mulher tem direito
A viver sem violência
É verdade, está na lei.
Que tem muita eficiência
Pra punir o agressor
E à vítima, dar assistência."

O trecho faz parte da obra "A Lei Maria da Penha em Cordel", de autoria do poeta e músico cearense, Tião Simpatia. O atilho de palavras e poesia, que trata de tema forte, circula nas redes sociais, junto com a surpresa recente: a pequena moradora de Itapebussu, distrito de Maranguape, Samya Abreu, de oito anos, que declama as palavras com propriedade de gente grande.

O vídeo, que já possui 139 mil visualizações, registrou o momento em que a maranguapense recita o cordel, em homenagem ao aniversário da Lei Maria da Penha, que completou 12 anos em 2018 — mais tempo de vida que a própria Samya.

O público aplaude enquanto as palavras percorrem a Casa da Mulher Brasileira, onde aconteceu a celebração. Na plateia, Samya dedica os versos à mulher que batizou a lei: Maria da Penha, que apesar da data, cede o protagonismo do momento à menina.

Com microfone na mão, os versos seguem com uma firmeza na voz, que decorou cada palavra do cordel. A mãe de Samya, Layenne Macedo, revela que a segurança vem da prática. "O meu esposo gosta de cordeis. Ele não faz, nem declama, mas gosta. E uma dia, eles estavam assistindo juntos a um cordel, e ela falou 'pai, eu sou capaz de declamar esse cordel'. Aí ele imprimiu, e entregou a ela. Depois de três dias, ela já tinha decorado tudo", revela Layenne. De acordo com a mãe, a menina possui 15 cordéis decorados. "Campanha Eleitoral", foi a primeira obra memorizada, aos seis anos de idade. 

"Ela é criança, tem apenas oito anos, mas a gente é bem aberto com ela. E ela tem a cabeça muito aberta. O que ela está declamando, ela entende tudo. Não é só por declamar", completa a mãe da menina que revela o envolvimento que Samya apresenta com as obras que performa.

A menina foi convidada pela Prefeitura de Maranguape, a declamar o cordel no dia da celebração, devido à fama que acumula recitando cordeis, inclusive em um canal no YouTube. "O meu esposo achou na internet esse cordel do Tião Simpatia, e mostrou a ela que falou 'pai, isso aqui num instante, eu aprendo'. Foi até uma surpresa, porque ela ia declamar outro cordel, e quando chegou lá, apresentou esse para a Maria da Penha", conta Layenne sobre a escolha da obra do cearense.

Emoção

O autor do cordel ficou encantado ao assistir o vídeo de Samya no Facebook. "Vê uma criança recitar o cordel Maria da Penha, que é um cordel de teor jurídico, que tem seis minutos de duração, e com aquela desenvoltura, realmente foi surpreendente. Isso é a renovação de uma semente que a gente plantou há 12 anos, e começa a germinar", declara Tião Simpatia.

O poeta, que se alegra com a situação, revela uma curiosidade com relação ao fato. "No mesmo momento que ela recitava em Fortaleza, eu estava recitando em Brasília, no Salão Nobre da Câmara dos Deputados", conta o cearense, que foi convidado a compor uma programação especial na Capital brasileira, em alusão ao aniversário da Lei.

Tião, que além de poeta e músico, também é cordelista, foi convidado por Maria da Penha a compor o cordel em homenagem a lei. "Como eu sempre gostei de temas sociais, ela me pediu para fazer um tema sobre a recém-criada lei. E eu fiz uma música chamada 'Maria da Penha'. E depois, ela disse 'por que você não faz um cordel também?'", rememora o artista sobre o pedido feito em 2009.

Confira o vídeo de Samya declamando "A Lei Maria da Penha em Cordel"

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.