Artes visuais

Alunos da rede pública fazem apresentação artística na Praça da Imprensa Chanceler Edson Queiroz

A apresentação tem como objetivo converter em arte todas as angústias que os alunos vivem

16:24 · 27.04.2018 / atualizado às 17:07
eeem
As apresentações terminaram hoje e têm acontecido deste a última segunda-feira (23), em diversos pontos da cidade. ( Foto: Kid Júnior )

"Chega!" é o grito entonado pelas adolescentes da Escola Estadual de Ensino Médio (EEEM) Presidente Castelo Branco em uma apresentação crítica com o tema "Violência contra a mulher".

A manifestação artística aconteceu na Praça da Imprensa Chanceler Edson Queiroz, nesta sexta-feira (27), onde 32 alunos participaram. Além desse tema, um grupo também apresentou uma performance crítica aos maus tratos com os animais. 

As apresentações terminaram hoje, mas têm acontecido desde a última segunda-feira (23), em diversos pontos da cidade, com a participação de 300 alunos da EEEM Pres. Castelo Branco. A manisfestação é a prova prática da disciplina de Artes, nomeada de Mostra de Artes Visuais, e já está em sua 4ª edição.

Professor e autor do projeto, Hemetério Segundo explica que essa é uma forma de converter em arte todas as angústias que os estudantes vivem diariamente.

"O que se aprende na sala de aula pode se tornar prático e transcender a escola. Muitos desses alunos vêm da periferia, não têm a oportunidade de falar pois a sociedade os cala. A ideia é colocar a revolta em forma de arte", explica o professor. 

Temas sociais abordados

Outros temas como LGBTfobia e corrupção também foram abordados em alguns lugares como a Praça do Ferreira e a Avenida Beira-mar.

Para Josiane Lima, estudante e uma das alunas que encenou, as mulheres são as que mais sofrem com as críticas da sociedade.

"Essa é uma experiência nova e estamos aprendendo muito. É uma chance de mostrarmos que na escola pública também tem qualidade e que os adolescentes podem fazer arte como profissionais", revela. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.