Semana do Celíaco

Ação no Aterro alerta sobre doença celíaca

A Acelbra-CE encerra programação de conscientização com distribuição de panfletos e orientações sobre a doença na Praia de Iracema

13:34 · 20.05.2018 / atualizado às 13:52
DIA DO CELÍACO
( Foto: José Leomar )
A multiplicidade de sintomas, que podem ser desencadeados em conjunto ou isoladamente, é o principal alerta quanto à doença celíaca. E o desconhecimento de quais são as manifestações no corpo e até mesmo o que é essa doença são os principais obstáculos enfrentados pela Associação de Celíacos do Brasil, seção Ceará (Acelbra-CE). 
 
Durante a semana de conscientização da doença celíaca, foi feita uma programação intensa pela Associação para divulgá-la em escolas, universidades e outras áreas públicas. Neste domingo (20), foi feito o encerramento no aterro da Praia de Iracema com distribuição de panfletos e orientações sobre alimentação para o tratamento da doença.  
 
Segundo a presidente da Associação, Mônica Miranda, muitas pessoas podem ter apenas um sintoma ou até mais e estar diagnosticado com outra patologia, como uma simples gastrite, intolerância a lactose ou ansiedade, quando o problema é bem maior.
 
LEITA TAMBÉM
 
> Doença celíaca pode levar à exclusão social
> Famílias superam restrição alimentar ao glúten
> Acelbra presta assistência a portadores da doença celíaca
 
Trata-se de uma doença autoimune, quando as células de defesa agridem as próprias células do organismo, causando um processo inflamatório. E isso é desencadeado pelo glúten, seja pela ingestão, pelo contato e, alguns, até pelo cheiro de algum produto com esse item.
 
Por exemplo, a enfermeira Cristina Bessa teve irritação com bolhas na pele do rosto. Demorou um pouco, mas descobriu que a reação foi pelo uso de shampoo com aveia, possivelmente contaminada pela plantação em conjunto com o trigo. 
 
Aliás, mais do que ver o rótulo de alimentos, medicamentos, maquiagem e brinquedos, é importante saber a origem dos produtos, como é o processo de fabricação. No caso de um restaurante, saber se a área onde é manipulada a comida sem glúten é separada dos outros alimentos com essa substância e se o cozinheiro é diferente. Se forem os mesmos, pode haver contaminação cruzada, então o alimento não é inteiramente isento de glúten.
 
Parece exagero, porém a menor partícula que seja pode causar diversos sintomas que perduram por longo tempo no organismo de um celíaco. Para muitos, a saída é fazer as refeições somente em casa, para não arriscar. "Eu tive uma contaminação involuntária recentemente, uma carne foi assada no mesmo tacho de outra que tinha tempero com glúten. Em 10h, fui mais de vinte vezes ao banheiro", lembra.
 
Então, é preciso estar atento aos sinais (veja relação dos principais abaixo) e fazer a constatação o mais cedo possível, para evitar prejuizos ao intestino e graves quadros de desnutrição e absorção de nutrientes. 
 
A doença celíaca é genética e pode ser constatada por exame sanguíneo e endoscopia. Para realizar o exame, é preciso estar consumindo alimentos com glúten nos últimos dois meses. Então, antes de tirar o item da dieta, confirme o diagnóstico. 
 
Sintomas recorrentes:
 
Orais
Aftas
Defeitos do esmalte dentário
 
Femininos
Abortos frequentes
Menstruação irregular
Infertilidade
 
Intestinais
Distenção abdominal
Prisão de ventre
Diarreia
Sem fome/Nausea
Dores abdominais
 
Ósteomusculares
Dores lombares
Dores nas articulações
 
Falta de vitaminas
Vitamina B12 baixa
Vitamina D baixa
 
Neurológicos
Raciocínio lento
Irritabilidade/Alterações comportamentais
 
Pele 
Eczema 
Acne
Unhas frágeis
Irritações cutáneas/couro cabeludo
Palidez
 
Diversos
Fadiga crônica
Vertigens/Desmaios
Alteração de peso
Queda de cabelo
Enxaquecas
Hipotiroidismo
Sinusite

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.