Cinco alterações

Obras visam desafogar Av. Washington Soares

As mudanças irão beneficiar, segundo a Prefeitura, sete bairros da Capital localizados na Regional VI

O projeto prevê a implantação de sentido único oeste/leste na Rua José Leon, no trecho entre as ruas Coronel Honório Vieira e José Alves Cavalcante ( Foto: JL Rosa )
01:00 · 06.12.2017 por Nícolas Paulino - Repórter

A Avenida Washington Soares é considerada um corredor estratégico por onde passam 120 mil passageiros por dia, apenas no transporte público, segundo a Prefeitura de Fortaleza. Contudo, o trânsito da via carece de fluidez porque, nos horários de rush, costuma ficar congestionada pela ausência de alternativas paralelas. Dentre as cinco intervenções planejadas para desafogá-la, está previsto um novo binário, o 18º a ser instalado desde 2014, entre a Avenida José Leon e a Rua Vereador Pedro Paulo, no bairro Jardim das Oliveiras. A proposta já havia sido anunciada em janeiro de 2016.

As duas vias registraram 246 acidentes de trânsito entre os anos de 2013 e 2016, segundo a Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos (SCSP), problemas que a gestão municipal quer minimizar. Para isso, o projeto prevê a implantação de sentido único oeste/leste na José Leon, no trecho entre as ruas Coronel Honório Vieira e José Alves Cavalcante, facilitando o deslocamento do Jardim das Oliveiras à Sapiranga.

Já na Vereador Pedro Paulo, será adotado sentido único leste/oeste, compreendendo o trecho entre as avenidas Dr. João Maciel Filho e a Rua Coronel Honório Vieira. O binário das ruas Iêda Pereira e Caiado de Castro também será requalificado em vista do atual sobrecarregamento do tráfego no equipamento. Outro produto do plano será o redesenho de pontos críticos da região, onde há conflitos de conversão, infraestrutura insatisfatória e dificuldades para pedestres, com a aplicação de nova semaforização e calçadas.

As três intervenções devem ser concluídas em abril de 2018. "Essa é uma área em franco crescimento demográfico, então é preciso que a gente busque não só uma solução de curto prazo, como também a prepare para esse tipo de pressão", ressaltou o prefeito Roberto Cláudio.

Corredor

Outra proposta é a criação de um corredor alternativo à Av. Washington Soares, ligando as avenidas Engenheiro Santana Júnior, Engenheiro Leal Lima Verde e Maestro Lisboa por meio da Avenida Miguel Dias. Para isso, a Avenida Engenheiro Leal Lima Verde será prolongada até a Av. Dos Franceses. Ações de correção de terreno e pavimentação na via devem ser iniciadas na segunda quinzena deste mês e prosseguir até fevereiro, segundo o secretário-executivo da SCSP, Luiz Alberto Sabóia.

"A intervenção vai acontecer numa área que não é um corredor de trânsito e que não tem muito fluxo. Não vamos mexer nos corredores principais, então isso não vai ter tanto impacto no trânsito de hoje", explica. Posteriormente, o entorno do polo gastronômico da Av. Edilson Brasil Soares receberá uma Área de Trânsito Calmo, que prevê a implantação de sinalização especial com foco em pedestres, travessias elevadas, redução de velocidade e prolongamentos de calçadas. A previsão de conclusão é junho de 2018.

Todo o pacote de obras deve atingir sete bairros (Luciano Cavalcante, Jardim das Oliveiras, Edson Queiroz, Sapiranga, Cidade dos Funcionários, Parque Manibura e Cambeba) que, juntos, abrigam cerca de 150 mil pessoas. Segundo Luiz Alberto Sabóia, as ações estão orçadas em cerca de R$3 milhões. Contudo, essa será apenas a primeira etapa de intervenções na região. A segunda, a ser anunciada no próximo trimestre, deve contemplar obras até o Lago Jacarey e o bairro Cambeba.

Outros binários

Segundo o engenheiro da Prefeitura Victor Macêdo, outros binários já anunciados também estão perto de sair do papel. Um, na região do Parque Genibaú e do Conjunto Ceará, tem previsão para o primeiro semestre de 2018 por conta de obras mais intensas de drenagem na área. Outro, envolvendo a Nereu Ramos e a José Meneleu, na Maraponga, será iniciado em janeiro. Já o trinário da Av. Duque de Caxias, no Centro, continua em análise e "ganhando um maior contexto para, inclusive, fazer uma conexão com o BRT da Av. Aguanambi".

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.