Morro Santa Terezinha em estado de alerta - Cidade - Diário do Nordeste

CHUVAS

Morro Santa Terezinha em estado de alerta

17.01.2008

Ainda não foram feitas ações preventivas. A SER II garante que na próxima semana estará iniciando os trabalhos

Os moradores do Morro de Santa Terezinha, no Mucuripe, estão apreensivos pela demora nos serviços de prevenção de deslizamentos e desabamentos na localidade, para conter os efeitos da quadra chuvosa. O principal problema é a falta dos reparos das bocas-de-lobos, uma vez que, quando cheias, transbordam e escorrem pelo morro, atingindo as casas fincadas nas encostas das dunas.

A presidente da Associação dos Moradores do Morro de Santa Terezinha, Vilani Nascimento, disse que o local reúne cerca de 1.072 famílias, sendo que 850 estão residindo em áreas comprovadamente de risco, principalmente nas encostas. Pelo fato das chuvas terem se intensificado nos últimos dias, ela teme que o terreno fique bastante vulnerável e haja perda de barracos já no começo da estação das chuvas.

“O que ocorria nos anos passados é que a Prefeitura de Fortaleza, na primeira semana de janeiro, fazia os trabalhos de desobstrução das bocas-de-lobo. Metade do mês já se passou e ainda não houve qualquer intervenção do Município nesse sentido”, afirmou Vilani.

A líder comunitária ressalta que a limpeza é uma prioridade para quem mora nos morros, uma vez que a água escorre em maior volume para as partes mais baixas, deixando um rastro de destruição, principalmente com os desmontes dos casebres.

No entanto, os moradores reclamam de outras providências preventivas que já poderiam ser tomadas pelo poder público. O ferreiro Antônio Martins, residente na Rua Pescador Chico Bindá, queixa-se de estruturas de contenção, tais como sacos de areias nas partes mais críticas do morro.

“Até o momento, todas as medidas preventivas estão sendo tomadas pelos próprios moradores, que não querem perder suas casas”, disse Martins, que está construído um muro, com colunas de concreto, para proteger sua casa.

Vilani diz que é grave a situação na Rua Pescador Chico Bindá, uma vez que muitas casas e barracos foram construídos em terrenos de invasão e na parte mais baixa. Além disso, há um grande acúmulo de lixo que também facilita a degradação dos terrenos.

O chefe da Defesa Civil da Secretaria Executiva Regional (SER) II, Eduardo Alexandre, informou que a partir da próxima segunda-feira uma equipe estará atuando nos serviços de desobstrução de galerias no Santa Terezinha.

A assessoria de imprensa da SER II desmente os moradores do Santa Terezinha e garante que estão sendo empreendidos trabalhos de limpeza nos morros do Teixeira e São Pedro. Além disso, garante que há um planejamento, também em andamento, de limpeza do serviço de microdrenagem em toda a parte alta do Mucuripe, que incluem ainda o Castelo Encantado e o Vicente Pinzón.

Marcus Peixoto
Repórter




Comente essa matéria


Editora Verdes Mares Ltda.

Praça da Imprensa, S/N. Bairro: Dionísio Torres

Fone: (85) 3266.9999