Missa dos Josés tem súplicas e gratidão

01:00 · 20.03.2017
Image-0-Artigo-2216547-1
José Antônio Soares herdou o nome do avô e tornou-se devoto com a morte do pai ( Foto: Reinaldo Jorge )

Histórias de devoção a São José marcam as vidas de homens cearenses há gerações. Na missa dedicada aos Josés, na Catedral, eles se fizeram presentes para agradecer dons já recebidos e rogar por novas conquistas. O padre Clairton Alexandrino explica que São José é, além de intercessor, exemplo para os que carregam seu nome.

"São José merece não só no dia de hoje, mas em todos os dias, uma homenagem por causa da docilidade de vida que demonstrou em relação à vontade de Deus. Ele foi o homem que abriu mão dos próprios projetos e ambições para servir a Deus como Ele quis", destaca.

Fiéis caminham até a Catedral 

José Antônio Soares, 29, autônomo, herdando o nome do avô, é devoto de São José desde criança, mas só foi se apegar mesmo ao Santo depois da morte do pai. "Ele é um modelo de oração e de homem, porque, hoje, o homem vem perdendo aquele compromisso com sua mulher e a paternidade", acredita.

José Rodrigues da Silva, 54, promotor de vendas, vindo de Juazeiro do Norte, tem a tradição de assistir às missas de São José no dia 19 de cada mês. Porém, a data em março também marca um fato especial: o aniversário de casamento. Assistiu à missa pedindo saúde para si, para a esposa e para os três filhos.

José Hamilton de Sousa, 56, comerciante, além de clamar pela cura de suas enfermidades e tão logo retornar ao trabalho, rogou pela agricultura cearense, que atravessa uma seca de cinco anos. "Estamos rezando durante a novena de São José para mandar chuva ao sertão, para termos colheita farta e abundante", reforça o padre Clairton.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.