DURA REALIDADE

Mais de três mil na fila de espera por cirurgia

12:56 · 26.11.2010
( )
Secretário da Sesa garante que mais quatro hospitais realizarão operações eletivas ortopédicas complexas

Mais de três mil pacientes aguardam por uma cirurgia eletiva ortopédica de alta complexidade no Ceará. Somente no Hospital Geral de Fortaleza (HGF), 2.502 pessoas esperam pela operação. No Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), da Universidade Federal do Ceará (UFC), a demanda soma 1.200. Essas são as duas principais unidades de saúde que realizam hoje no Estado do Ceará esses procedimentos.

Na tentativa de solucionar o problema, o juiz federal, substituto da 6ª Vara, José Eduardo de Melo Vilar Filho, julgou procedente a ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público Federal (MPF), conforme noticiou ontem o Diário do Nordeste. Na sentença, o magistrado determinou que a União, o Estado e o município de Fortaleza adotem medidas a fim de solucionar definitivamente a problemática da fila de espera nos dois centros de saúde em questão.

Segundo a decisão, as unidades terão um prazo de três meses para realizar um cadastro contendo o nome dos pacientes, o tempo de espera e o tipo de procedimento cirúrgico que está sendo aguardado.

Ficou estipulado ainda que em 12 meses a fila deverá ser reduzida em dez por cento; em 24 meses em 50%; e em 36 meses em 90% do total. A sentença conclui também que, em um período de três anos, o tempo máximo de espera na fila para cirurgia ortopédica de alta complexidade deverá corresponder somente a três meses.

Para a diretora do HGF, Níobe Barbosa, o extenso número de pacientes na fila de espera pelo procedimento é causado, principalmente, pela falta de hospitais no Ceará habilitados a realizar esse tipo de operação. "O HGF hoje está sendo responsável por solucionar a maioria dos problemas da rede pública de saúde do Ceará. É a referência única para grande parte dos casos complexos no Estado, mas sozinho ele não consegue absorver toda a demanda, precisamos de parceiros", destaca.

Ampliação

O secretário da Secretaria de Saúde do Estado (Sesa), Arruda Bastos, revela que mais três unidades de saúde estão sendo preparadas para receberem cirurgias ortopédicas complexas no Ceará. São elas: Hospital Regional do Cariri, que será inaugurado no próximo dia 10; Hospital Regional da Zona Norte (HRN), em Sobral, com previsão de entrega para 2011; e o Hospital da Polícia Militar, em Fortaleza.

Conforme Bastos, já foi encaminhado um pedido para que o Ministério da Saúde conceda habilitação à Santa Casa de Misericórdia para também realizar esse tipo de cirurgia. O secretário aponta como principais fatores para a situação da fila de espera a complexidade do procedimento e os poucos serviços capacitados oferecidos no Ceará para realizar as cirurgias.

"Estamos ampliando o número de hospitais habilitados, descentralizando assim a procura pelo HGF e pelo HU Walter Cantídio. Além disso, precisamos de mais recursos para o financiamento dessas cirurgias", revela. O secretário da Sesa adiantou que o Ceará receberá um recurso do Governo Federal de cerca de R$ 1,8 bilhão. O dinheiro será destinado para as cirurgias de alta e média complexidade. Contudo, Arruda Bastos advertiu que a quantia não é suficiente para atender toda a demanda do Estado.

Fique por dentro
Operações eletivas

O procedimento eletivo é aquele que pode ser agendado. O paciente que necessita de uma operação desse tipo não se encontra em uma situação de urgência, ou seja, não está correndo risco de vida ou passando por sofrimento intenso. Dessa forma, pode-se realizar a cirurgia em uma data escolhida pelo paciente ou pelo médico, desde que a espera não comprometa o tratamento

JÉSSICA PETRUCCI
REPÓRTER

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.