´Plante uma árvore. Semeie esta Ideia!´

Lançada campanha para tornar Fortaleza Capital mais arborizada

01:10 · 29.02.2012
Para arquiteta, há incompreensão da importância do espaço verde na Cidade
Para arquiteta, há incompreensão da importância do espaço verde na Cidade ( Rafa Eleutério )
Especialistas acreditam que é essencial o reforço de ações educativas como esta em diferentes níveis da sociedade

Uma ocupação do espaço urbano intensa e aliada a uma malha viária pensada somente no tráfego de veículos individuais. Esses fatores contribuíram e continuam a favorecer a retirada gradativa da cobertura vegetal de Fortaleza e a transformar o tráfego de pedestres em um verdadeiro suplício, tendo em vista, ainda, as altas temperaturas da Capital e a falta de sombras.

Para mudar este cenário e transformar Fortaleza em uma cidade mais arborizada, o Grupo Edson Queiroz lançou a campanha "Plante uma árvore. Semeie esta ideia!".

Para a arquiteta e urbanista Fernanda Rocha, faz-se imperativo reforçar ações educativas como essa em diferentes níveis, em conjunto com a cobrança de iniciativas planejadas e efetivas dos poderes constituídos na implementação de melhorias significativas do ambiente urbano.

"E, para isso, não é preciso ir longe, devemos voltar nossos olhos para o que temos de significativo, nossa flora e fauna. Só através do seu conhecimento, poderemos valorizá-la e preservá-la e, assim, desfrutar um ambiente mais saudável", explica.

Ela destaca que a deterioração constante das condições ambientais e paisagísticas de Fortaleza, seja em face da falta de planejamento da cidade, pela incompreensão da importância dos espaços verdes, pelo desconhecimento das implicações que resultam deste descaso, ou mesmo pela falta de vontade política em alterar o estado geral das coisas, resulta na cidade em que vivemos.

Áreas permeáveis

Fernanda Rocha explica que, quando falamos de áreas verdes, estamos necessariamente discutindo as áreas permeáveis, enquanto os espaços verdes podem incluir vias pavimentadas e arborizadas.

"E, em se tratando do meio urbano, onde a apropriação dos espaços pela população possui um papel relevante, não podemos deixar de considerá-los. O fundamental é se adotar um enfoque abrangente quando pensamos em ambiente urbano, considerando aspectos biológicos, psicológicos, econômicos, entre outros", ressalta.

Fernanda aponta o Pau Branco (Cordia oncocalyx), árvore da caatinga e bem adequada à arborização viária, e de porte médio, como uma ótima espécie para ser cultivada na Capital.

Cidade não possui órgão para tratar da área verde

O engenheiro agrônomo e especialista em Botânica Antônio Sérgio Farias Castro explica que a carência de um departamento de praças e jardins, de um órgão encarregado da arborização da cidade, ou seja, da questão de mudas, plantio, acompanhamento e podas é um dos grandes problemas da Cidade.

"Isso resulta em uma Fortaleza com a pior arborização do País. Capitais como Recife, São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador, as grandes cidades de maneira geral, possuem algum órgão que trata da sua área verde. Isso se reflete na própria população cearense, que acaba não dando o devido valor a sua flora", opina Castro.

Ações como a derrubada de árvores por qualquer motivo, para ele, acabam sendo uma questão cultural, ou seja, falta de conhecimento, "pois acham que as árvores sujam as calçadas, que elas vão quebrá-las, quando, na verdade, os benefícios de uma árvore são muito maiores", diz.

"Caso existisse esse órgão, nós saberíamos quais espécies temos em Fortaleza, Não há nenhum levantamento sobre isso, o primeiro começou neste ano. O uso de plantas nativas é muito reduzido na Capital, não se conhece nada sobre a vegetação de nossa cidade. Para se ter uma ideia, nós temos fragmentos de serrado, ali, na região da Avenida Oliveira Paiva, e a população em geral desconhece e não sabe o seu valor", analisa.

Para ele, são mil e um problemas que a Capital vive nesse sentido. "Muitas vezes, cortam uma árvore só porque ela está alta, falta orientação para população sobre que tipo espécie plantar em sua região, o melhor espaço, ou seja, não há planejamento e muitos menos acompanhamento do plantio", acredita.

"Esses exemplos podem comprovar que não há conhecimento, não há planejamento, não há técnica, as coisas são feitas como há 400 anos. Entregam literalmente um facão a uma pessoa sem orientação e mandam cortar", critica.

Plante uma árvore, semeie essa ideia



Benefícios


Ele explica que uma cidade arborizada tem seu clima reduzido em vários graus. "Como exemplo, podemos citar a sombra de uma mangueira, em uma cidade onde a média climática é de 32 graus, embaixo da sombra de uma mangueira essa temperatura cai para 27 graus, isso é um conforto térmico proporcionado pela planta".

Além disso, Antônio aponta a questão do efeito psicológico, "a cidade traz muito estresse por muito fatores, dentre eles, as construções, o trânsito, a poluição. As árvores têm um papel fundamental na sensação de paz nessas pessoas, conforto visual e psicológico, elas filtram a poeira, filtram o barulho, ou seja, diminuem a poluição sonora. Porém, Fortaleza é uma cidade que prioriza o asfalto".

Inventário

A coordenadora do Inventário Arbóreo da Capital, Lúcia Brito, informou que a pesquisa teve início em janeiro de 2012 e deve durar cerca de oito meses. "O estudo será qualitativo e norteará o plano diretor de arborização da Cidade", explicou Lúcia.

Segundo a coordenadora, o inventário será um mapa das regiões verdes da Capital e de suas espécies, o que possibilitará saber as áreas onde se deve investir em arborização e quais espécies plantar.

Para o arquiteto e urbanista Euler Sobreira Muniz, essa iniciativa já era necessária há muito tempo. "O mundo segue a vertente da sustentabilidade, em que o verde é importante e a responsabilidade é de todos".

Importância

27
graus é a temperatura embaixo da sombra de uma mangueira em uma cidade onde a média climática é de 32 graus, segundo o especialista em Botânica Antônio Sérgio Castro

8 meses é a duração prevista do Inventário Arbóreo da Capital, que norteará o plano diretor de arborização da cidade, de acordo com a coordenadora do projeto

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.