GRIPE A

Independência e Acopiara têm casos suspeitos

01:49 · 02.12.2011
( )
Médicos orientam uso de máscaras e de álcool em gel dentre as medidas de prevenção contra a doença
Médicos orientam uso de máscaras e de álcool em gel dentre as medidas de prevenção contra a doença ( ALEX COSTA )
Para o ministro Padilha, o surto pode se espalhar para outros Estados, e prevenção deve ser reforçada
Para o ministro Padilha, o surto pode se espalhar para outros Estados, e prevenção deve ser reforçada ( Silvânia Claudino )
Representantes do Ministério Público nas cidades, onde há casos suspeitos de gripe A, cobram providências

Outros dois municípios do Interior do Ceará registraram, ontem, casos suspeitos da gripe A. Uma jovem de Independência, mas que teria passado pela cidade de Pedra Branca, foi transferida de Independência para o hospital de Crateús, com suspeita da doença.

Outras ocorrências de casos suspeitos nos municípios de Boa Viagem (24), Quixeramobim (1), Quixadá (1) e Acopiara (um caso em análise laboratorial), agora estão notificadas pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesa). Estas suspeitas deixaram a vigilância epidemiológica dos municípios afetados e pacientes em alerta e monitorados sob suspeita de terem contraído a doença.

A Sesa informou, em sua página na web, que o acumulado das notificações na cidade de Pedra Branca chegou ontem a 534, com 13 casos confirmados de gripe suína. As demais suspeitas estão sendo testadas e os resultados do exames vão confirmar ou descartar a circulação do vírus. O órgão garante que o tratamento para todos os casos notificados independente do resultado dos exames.

A estratégia da Sesa é que todo paciente que chegue à unidade de saúde com dificuldade de respirar, tosse, coriza, e mora em Pedra Branca ou teve contato com moradores de lá, imediatamente comece o tratamento com o medicamento Tamiflu, mesmo sem a confirmação dos exames laboratoriais.

A entidade estadual de saúde, como medida preventiva e para estoque estratégico de assistência, já liberou caixas de Tamiflu para as 21 regionais de saúde. Ontem, o secretário da saúde, Arruda Bastos, esteve em Brasília com o ministro da Saúde Alexandre Padilha e o secretário de vigilância em saúde Jarbas Barbosa que, atendendo a solicitação do Ceará, liberaram 9 mil doses do medicamento tamiflu.

Enquanto a gripe A se expande pelas cidades interioranas, as autoridades mostram preocupação com as providências a serem tomadas para fechar o cerco à doença. Em Quixeramobim, no Sertão Central, o Ministério Público instaurou procedimento administrativo para acompanhar e fiscalizar o enfrentamento de casos da gripe A no município.

O promotor de Justiça Hugo Frota Magalhães Porto Neto requisitou informações da secretaria de saúde local sobre as providências que serão tomadas para o enfrentamento do provável surto epidêmico. "Queremos acompanhar as providências tomadas: medicamento, estoque de vacina, bloqueios, campanhas preventivas e quantidade de leitos disponíveis para eventuais pacientes atingidos. Vamos fiscalizar todas as ações", afirmou Hugo Porto.

Ontem, em Pedra Branca, foco principal da gripe suína, a Câmara Municipal realizou audiência pública pela manhã, cobrando esclarecimentos da secretária de saúde, Tânia Parente. Já á tarde, o MP promoveu audiência pública. O objetivo foi promover esclarecimentos sobre a doença e informar a população sobre as vacinas e os cuidados na transmissão.

OUTRAS AÇÕES
Ministro da Saúde desaconselha vacina

Alexandre Padilha afirmou que imunização só tem efeito 15 dias depois da aplicação e diz que Pedra Branca é alerta

Brasília. O surto de gripe A em Pedra Branca foi destaque durante a realização da 14ª Conferência Nacional de Saúde, em Brasília. O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, desaconselhou o uso de vacinas para o controle da doença, visto que, segundo ele, a imunização só tem efeito cerca de 15 dias depois da aplicação.

"Eu, como médico, digo que está errado defender a vacina. Todo mundo que teria que estar imunizado fez isso na última etapa em 2009. Temos que orientar a população e reforçar que se faz necessário fortalecer a campanha de vacinação contra a gripe que acontece antes do inverno", frisou o ministro. Atualmente, um técnico do Ministério da Saúde se encontra em Pedra Branca e até vídeo-conferências já foram realizadas na cidade.

Para Padilha, o caso da cidade cearense deve servir de alerta para o País a fim de que todas as secretarias municipais reforcem as suas fronteiras e os rituais de prevenção para que o Brasil não venha a ter uma nova epidemia do vírus.

"Apesar de hoje os casos ainda estarem restritos em uma cidade, isso não significa que não possa se espalhar por outros Estados. Fica o alerta geral", afirmou.

Padilha ressaltou ainda que a população de Pedra Branca deve evitar o pânico, que pode trazer, inclusive, o diagnóstico precipitado e até equivocado.

Para os casos que possam ter mais gravidade clínica, o ministro declarou que, de acordo com relato feito pelo secretário de Saúde do Ceará, Arruda Bastos, foram instalados leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em Pedra Branca para evitar eventuais óbitos.

O esclarecimento do ministro se deu durante a Oficina "Diálogos Mídia e Saúde", realizada pela assessoria de comunicação do Ministério da Saúde na tarde de ontem na conferência, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília. O Diário do Nordeste foi enviado a convite da organização do evento que segue até o dia 04.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.