rede de ensino estadual

Incêndio atinge escola, e aulas são suspensas

De acordo com a Seduc, cerca de 160 alunos estavam no colégio no momento do incêndio. Ninguém ficou ferido

01:00 · 29.05.2018
Image-0-Artigo-2406327-1
Dois professores tiveram que ser levados para atendimento no Instituto Doutor José Frota (IJF) após inalarem fumaça ( FOTO: HELENE SANTOS )

Em meio aos preparos para o início das aulas do turno da tarde, funcionários e alunos da Escola de Ensino Fundamental e Médio (EEFM) Santa Luzia, localizada no bairro Aldeota, foram surpreendidos por um incêndio que atingiu o almoxarifado da Instituição no início da tarde de ontem (28). O local armazenava o material de limpeza da escola.

De acordo com os alunos, por volta das 12h50 o cheiro de queimado estava no ar. Pouco depois, todas as luzes da escola se apagaram e a fumaça se alastrou. Os estudantes foram retirados do local e o Corpo de Bombeiros Militar do Ceará (CBMCE) foi acionado para cessar o fogo.

Ainda não há informações sobre o que pode ter provocado o incêndio, de acordo com a coordenadora da escola, que preferiu não se identificar. Segundo ela, não houve grandes danos e ninguém ficou ferido.

Barulho

Os alunos da Instituição relataram que, de acordo com os professores, o ar condicionado do almoxarifado estava fazendo barulho e quando a fumaça começou a sair, ocorreu uma queda de energia em toda a escola. "Achamos que era uma pane normal, a fumaça não chegou nas salas. O incêndio começou no almoxarifado e uma funcionária jogou água para cessar o fogo, mas isso que fez com que aumentasse", relata uma das estudantes. Com a queda de energia, alguns alunos saíram da escola e viram a fumaça que se alastrava. "Os professores pegaram as provas e saíram correndo", conta. Ainda assim, o relato é de que não houve desespero, já que ninguém viu fogo. Apesar de ser o terceiro acidente que acomete as escolas públicas em apenas uma semana, os alunos afirmam que a estrutura física do colégio Santa Luzia é "muito boa", e que não falta extintor de incêndio no local. "Se qualquer coisa dá defeito, eles (Seduc) procuram arrumar antes de qualquer coisa. É rápido", revelam os estudantes da escola.

Segundo o capitão do Corpo de Bombeiros, Felipe Ribeiro, após o chamado da ocorrência, a guarnição chegou em dez minutos e controlou o fogo. Ribeiro afirmou, ainda, que o fogo ficou restrito ao almoxarifado, causando danos ao teto do local, feito de PVC.

Alguns funcionários tentaram retirar o material armazenado no almoxarifado, segundo o oficial, e dois deles tiveram que ser levados para atendimento no Instituto Doutor José Frota (IJF) após inalarem fumaça. Eles foram atendidos por equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e depois conduzidos para a Unidade de Saúde Municipal.

Perícia

O motivo do incêndio, de acordo com o capitão Felipe Ribeiro, só será conhecido após o laudo da perícia. Em nota, a Secretaria comunicou que "a Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza (Sefor) aguardará o parecer dos Bombeiros sobre a causa (do incêndio)".

As aulas foram suspensas ontem (28) e também não serão realizadas hoje (29), conforme informou a Seduc. O órgão também afirmou que extintores de incêndio foram utilizados pelos profissionais da escola.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.