Polo de lazer

Gatos são mortos de forma cruel no bairro Damas

01:00 · 05.09.2018
Image-0-Artigo-2449218-1
Para o professor, defensor dos animais e morador do bairro, Marcel Girão, os animais foram mortos a pauladas, assim como ocorreu da última vez ( Foto: Reinaldo Jorge )

Aproximadamente 12 gatos foram encontrados mortos, na manhã de ontem (4), no Polo de Lazer Gustavo Braga, localizado no bairro Damas. Esse é o terceiro atentado a gatos registrado no mesmo local em quatro meses. Para o professor, defensor dos animais e morador do bairro, Marcel Girão, o autor do crime ainda é uma incógnita. Ao que tudo indica, os animais foram mortos a pauladas, assim como da última vez.

"Além de terem matado mais de 10 gatos, outros 12 sumiram. Acredito que devem ter jogado no canal, como já fizeram antes. Com essa terceira transgressão, somam-se cerca de 60 gatos mortos. É um serial killer", opina o defensor dos animais.

Investigação

A Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPM) tomou conhecimento do ocorrido e está investigando o caso, conforme o delegado titular, Hugo Linard. "Se houve uma situação de maus tratos, é um crime ambiental. Já iniciamos algumas diligências no sentido de obtermos informações sobre o caso", afirmou o delegado. Segundo ele, o crime se enquadra no artigo 32 da Lei 9605/1998, em que a pena varia entre três meses e um ano de prisão, podendo ser aumentada em caso de morte do animal.

A forma mais eficaz de cessar as fatalidades seria a instalação de câmeras de segurança no local, segundo opinou o morador Marcel. "É muito difícil conseguir uma testemunha nesses casos, há meses solicito essas câmeras", destaca Marcel. O delegado Hugo garantiu que solicitará, até hoje (5), a instalação do equipamento de segurança por parte da Prefeitura.

O Polo de Lazer Professor Gustavo Braga contabiliza dezenas de gatos abandonados. De acordo com Marcel, o VetMóvel, equipamento da Coordenadoria de Bem-estar e Proteção Animal de Fortaleza, fez o que deveria fazer - castrou todos os gatos e fez o acompanhamento necessário. Porém, o abandono destes animais na praça, continua.

Educação Ambiental

"A questão da Educação Ambiental é muito importante. A população precisa, primeiramente, mudar o seu comportamento. O olhar junto a esses animais deve ser de solidariedade e não de hostilidade", apela o delegado Hugo Linard.

Em nota, o Batalhão de Polícia Ambiental lamentou o ocorrido e colocou-se à disposição para denúncias e informações que auxiliem a prender o autor do crime. O órgão lembrou, ainda, que o policiamento especializado realiza palestras, exposições e aulas de Educação Ambiental em diversas escolas e espaços da Cidade visando conscientizar e educar para não precisar punir. Para denunciar ao Batalhão, o número é o 190.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.