ATERRINHO

Fortaleza: terra da folia

O principal ponto de atrações mominas na cidade consolidou o movimento que se firma a cada ano: Fortaleza é terra de Carnaval. Nos quatro dias de festa, milhares de pessoas passaram pelo local, que concentrou artistas cearenses e de renome nacional

01:00 · 14.02.2018
a
A cantora Elba Ramalho levou o frevo para a Praia de Iracema, em uma noite que teve ainda o grupo Las Tropicanas, Bloco Luxo da Aldeia e uma parceria da paraibana com Chico Pessoa ( FOTO: THIAGO GADELHA )

O Carnaval é uma das poucas épocas do ano que tem o feito de escancarar os sentimentos dos foliões, para os quais a música certamente é uma das válvulas de vazão. No Aterro da Praia de Iracema, principal polo do Carnaval na Capital cearense, foi possível encontrar corpos dançantes, pés com vida própria e gargantas berrando a plenos pulmões, tais quais veias abertas vertendo alegria nos quatro dias de atrações que desfilaram pelo palco sobre a areia.

Forró, pagode, frevo e até um "brega romântico pós-pop cafona" deram o tom ao entretenimento de brincantes fantasiados, maquiados, adereçados ou de cara limpa, mas todos de braços estendidos para tocar algo intangível: o bem-estar, ou o simples estar bem.

Para evitar contratempos na diversão, agentes da Guarda Municipal de Fortaleza e patrulhas da Polícia Militar rondavam a multidão, bem como uma equipe de saúde especializada montava plantão num Posto Médico Avançado.

Entre o sábado e a terça-feira, atrações locais e nacionais animaram o público. Na primeira noite, os blocos Geração Coca Cola e o Travestidas dividiram o palco com a baiana Margareth Menezes, que completou 30 anos de carreira em janeiro e passeou pela história da própria carreira com Faraó e Dandalunda. "A música é o combustível do Carnaval e eu sempre sou bem recebida aqui em Fortaleza", disse Margareth Menezes.

No domingo, mais tradição de Carnaval. A cantora Elba Ramalho levou o frevo para a Praia de Iracema, em uma noite que teve ainda o grupo Las Tropicanas, Bloco Luxo da Aldeia e uma parceria da paraibana com o cantor Chico Pessoa.

No dia seguinte, a festa foi toda cearense, com Os Transacionais e os blocos "Eu Não Sou Cachorro, Não!" e Vai Gonzagão.

E, na noite de terça-feira, a irreverência pernambucana de Jhonny Hooker e o samba carioca de Jorge Aragão deram o tom no Aterrinho e fizeram o folião cearense se despedir do Carnaval em grande estilo.

Leia ainda:

> Memória, samba e afeto na cidade 
> Balança o chão da praça 
> Maracatu reinventado 
> Fantasia para manter a luta 
> Aracati: Alegria resgatada 
> Muita cor e diversão em várias cidades do Ceará
> Folia com crítica social pelo País
 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.