Arte corporal

Fortaleza Tattoo Expo deve expandir mercado

Expectativa é que o evento represente o retorno da cidade ao circuito das convenções internacionais

Com o interesse pela arte corporal em expansão, aliado a quebra de barreiras sociais, os organizadores observam uma ampliação não só de estilos e produtos derivados desse mercado, mas também do perfil dos usuários ( FOTO: HELENE SANTOS )
01:00 · 05.05.2018 / atualizado às 12:09 por Renato Bezerra - Repórter

Visando dar o pontapé inicial para a expansão de um mercado, até então estagnado na Capital cearense, o 1º Fortaleza Tattoo Expo deu início, nessa sexta-feira, no Centro de Negócios do Sebrae, a uma verdadeira exposição de estilos e conceitos através do trabalho de mais de 150 profissionais do ramo da arte corporal. A programação continua durante o fim de semana.

Com os trabalhos sendo divididos em 18 categorias diferentes, seis a cada dia, a expectativa é que o evento represente o retorno da cidade ao circuito das grandes convenções internacionais de tatuagem. "Nós tivemos eventos assim de 2003 a 2005 e depois adormeceu. O segmento da tatuagem no Brasil e no mundo não parou, continuou crescendo, mas Fortaleza ficou estagnada. Então tivemos a ideia de renovar o evento, trazer uma roupagem nova", explica Dereka, um dos organizadores da Expo.

Com o interesse pela arte corporal em expansão, aliado a quebra de barreiras sociais antes impostas pela sociedade, Dereka observa uma ampliação não só de estilos e produtos derivados desse mercado, mas também do perfil dos usuários de tatuagens, atualmente integrando do público jovem até os idosos.

"A tatuagem está crescendo tão rapidamente que está atingindo vários segmentos e muitas empresas estão aproveitando. Temos materiais de tatuagens especializadas, hidratantes, cremes cicatrizantes, protetor solar. Temos as máquinas, que estão numa evolução muito rápida. Então a tatuagem está acelerando e Fortaleza agora vai acelerar, tanto no público como os artistas, que vão sentir a necessidade de se renovar", afirma.

Ricardo Torres, 41, é tatuador há quatro anos e a paixão pelo ramo nasceu dos seus conhecimentos em química, sua formação, e da lida com as tintas na grafitagem, sua atividade anterior. Embora à procura por essa arte esteja em alta, a demanda de profissionais também cresce a cada ano, sendo necessário um aperfeiçoamento contínuo para se manter no mercado. "É preciso se qualificar. Tem mercado para todo mundo, mas temos que nos especializar, buscar informação, pois nunca sabemos de tudo e sempre podemos evoluir", destaca.

Evento

Na tarde dessa sexta-feira (4), primeiro dia do evento, o cronograma e a reunião de diversos artistas encheu os corredores de admiradores da arte corporal, seja aquele que coleciona desenhos por quase todo o corpo ou o que busca sua primeira marcação na pele. É o caso do professor de dança de salão, Kléber França, 28, que fez a primeira tatuagem, em homenagem a mãe. "Sempre achei muito bonito e pensava em gravar o nome dela para fazer uma surpresa. Infelizmente ela morreu e não tive essa chance, então me programei para fazer antes do seu aniversário de morte, neste domingo próximo", conta ele, já mencionando a ideia de fazer a segunda em breve, um desenho em alusão a banda Aerosmith.

Motivos para fazer uma tatuagem não faltam. Para uns a arte corporal resulta em uma homenagem, seja a um familiar, animal de estimação ou a sua banda favorita. Para outros, se trata de uma questão de estilo ou a usam como forma de expressão artística. Há, ainda, quem use os desenhos para contar momentos importantes na vida, como a atendente Kellyane Moura, 37, no evento tatuando sua 14ª.

"Todas as minhas contam uma história, são parte da minha vida, já são intrínsecas a mim", diz. Contudo, acrescenta, nem tudo são flores e muitas pessoas ainda precisam lidar com o preconceito, apesar de menor. "Ainda existe sim, seja no ambiente de trabalho ou até na própria família", lamenta.

O Fortaleza Tattoo Expo continua neste sábado (5), com programação que vai das 10h às 22h, e no domingo (6), com eventos iniciando ao meio dia e terminando às 20h.

Protagonista

Arte como paixão. Cores como referências

A maquiadora Larissa Ferreira, 22, no exercício de sua profissão, já vive em meio a tons e brilhos que transformam a pele. Apaixonada, no entanto, por tatuagens, a jovem vai além e acaba de fazer sua 12ª arte no corpo, durante o primeiro dia do Fortaleza Tatto Expo.

Apesar de ainda sentir uma resistência da sociedade em relação a prática, Larissa já pensa nas próximas tatuagens que vai fazer, tendo como sua principal referência algo simples: a diversidade das cores. "Elas chamam muito a minha atenção, então tem que ser algo colorido", diz.

Mais Informações

Fortaleza Tattoo Expo: Avenida Monsenhor Tabosa, 777, Praia de Iracema (85) 3253.1806

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.