Junto a outros três locais

Fortaleza será última morada de dom Aloísio

Um fragmento dos restos mortais do arcebispo deve chegar à Cidade antes do fim deste ano

01:00 · 05.09.2018
Image-0-Artigo-2449096-1
Um documentário que narrará a vida do religioso, mostrando suas ações pastorais, está sendo produzido pela TV Aparecida

Onze anos após sua morte, os cearenses poderão reverenciar, mais uma vez, dom Aloísio Lorscheider, que faleceu no dia 23 de dezembro de 2007, em Porto Alegre. A Arquidiocese de Fortaleza receberá parte dos restos mortais do religioso, após negociações mediadas pela Igreja Católica em três estados durante esses anos. Embora o Código Canônico reze que os fragmentos devam ficar na última diocese em que o cardeal serviu, a relação social, religiosa e afetiva que dom Aloísio estabeleceu com o Estado do Ceará foi determinante na decisão.

Os restos mortais serão divididos em quatro urnas, todas em locais onde o religioso serviu: Santuário Nacional de Aparecida, em São Paulo, último lugar onde praticou o sacerdócio; Diocese de Santo Ângelo, no Rio Grande do Sul; cemitério do Belo Convento, em Imigrante, no mesmo Estado; e Arquidiocese de Fortaleza. Na divisão, foi acordado que a capital cearense ficaria com uma das partes do corpo do arcebispo, a perna direita. Uma missa, prevista para acontecer em dezembro, será realizada no intuito de comemorar o que a Arquidiocese de Fortaleza considera uma conquista.

Segundo o pároco da Catedral de Fortaleza, padre Clairton Alexandrino, a data e horário não estão certos, mas a expectativa que é se comemorem os 40 anos da Catedral com o fragmento já na igreja, no dia 21 de dezembro. "Ele era muito querido, um verdadeiro pastor, que estava sempre do meio do povo". Em 2007, as arquidioceses de Fortaleza e Aparecida do Norte, locais onde ele exerceu o episcopado, candidataram-se para ser o lugar do último descanso de dom Aloísio Lorscheider.

Conclaves

Entretanto, na época, decidiu-se sepultá-lo no cemitério do convento em Imigrante, onde ele passou a vida logo após deixar Aparecida do Norte, como emérito. Em 1973, o Papa Paulo VI o nomeou arcebispo de Fortaleza. O mesmo pontífice o constituiu cardeal em 1976, o que fez com que dom Aloísio Lorscheider participasse dos conclaves de João Paulo I e de João Paulo II.

Um documentário que narrará a vida do religioso está sendo produzido pela TV Aparecida. O especial abordará desde ações pastorais até o sequestro, em Fortaleza, e a despedida da Capital cearense. A estreia está prevista para 4 de outubro, Dia de São Francisco de Assis. A data foi escolhida porque dom Aloísio era da ordem franciscana.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.