tratamento especializado

Fortaleza registra 118 casos de HIV/Aids neste ano

Ontem, um novo espaço para atendimento médico e de distribuição de medicamentos foi inaugurado na Capital

01:00 · 01.05.2018 por João Lima Neto - Repórter

O número de novos casos de HIV/Aids reduziu em Fortaleza em comparativo entre os dois últimos anos. Conforme levantamento da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), no ano passado, foram descobertos 375 novos pacientes. Em 2016, o número era de 504 pessoas infectadas. Em comparação com igual período é possível analisar a redução dos casos em 25,5%. Neste ano, até março, o número já chega a 118 casos. Mesmo com as campanhas de conscientização, a preocupação de movimentos sociais ainda é com a forma de tratamento. Na manhã de ontem, uma antiga demanda foi atendida pela Prefeitura de Fortaleza. Um novo espaço para atendimento médico especializado e de distribuição de medicamentos foi inaugurado na Capital.

Como forma de descentralizar o serviço de atendimento para pessoas com HIV/Aids, a Prefeitura de Fortaleza lançou a nova sede do Serviço de Atenção Especializado (SAE). Os serviços funcionam dentro da Policlínica João Pompeu Lopes Randal, localizada no bairro Jangurussu. Antes, o paciente precisava se deslocar para o Posto Carlos Ribeiro, onde o SAE que funcionava de forma provisória no bairro Jacarecanga.

No novo espaço, a população tem acesso a atendimento qualificado, por meio de nove salas climatizadas, atendimento médico especializado e acesso ao tratamento das doenças. A demanda era uma solicitação antiga do Fórum Movimento Social de Luta contra Aids do Ceará.

"Era uma solicitação que a gente vinha tentando atender do movimento em defesa das pessoas que convivem com o HIV e Aids. Há muito tempo eles reclamavam da descentralização do serviço. Era importante ampliar a cobertura. Nós temos agora o atendimento no bairro Jangurussu, na regional mais povoada e adensada de Fortaleza. A cidade inteira tinha que se deslocar antes para o posto Carlos Ribeiro, do outro lado da cidade. Esse novo espaço envolve novos consultórios médicos, além de outras especialidades como nutrição e psicologia. Também tem a farmácia com os antirretrovirais e laboratório de coleta de exames para acompanhar o dia a dia dos pacientes", declarou o prefeito Roberto Cláudio.

Rápido

A unidade que mais identifica pacientes com HIV/Aids é o Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) Carlos Ribeiro. Após o teste rápido, a pessoa é encaminhada para o SAE mais próximo a sua residência. Neste serviço especializado (SAE), o paciente terá uma consulta inicial com profissionais de enfermagem para solicitação de exames; assistentes sociais para avaliação de vulnerabilidades sociais; e psicólogo (se houver necessidade, após a avaliação dos profissionais anteriores). Em seguida é agendada a consulta com o infectologista, que avaliará os exames e iniciará o tratamento, reagendando consultas de retorno, de acordo com sua avaliação.

Segundo o coordenador do Fórum do Movimento Social de Luta contra a Aids, Vando Oliveira, a criação do espaço chega a atrasada, mas deixa os pacientes mais tranquilos no que diz respeito ao tratamento a ser ministrado. "Na verdade, para o movimento é uma conquista. É um ganho. É um serviço que já existia, mas aqui, no Jangurussu, vai nos proporcionar um melhor atendimento. A gente enfrenta dificuldades para conseguir serviços de outras especialidades. Vamos economizar tempo e dinheiro com passagens".

Educativas

Conforme Joana Maciel, secretária de saúde de Fortaleza, a Área Técnica de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST/Aids) e Hepatites Virais, desenvolve ainda durante o ano diversas atividades educativas como forma de orientar a população para prática do sexo seguro e do diagnóstico oportuno do HIV, da Sífilis e das Hepatites B e C.

As ações envolvem palestras e distribuição de material informativo e realização de testagem rápida, em eventos de grande concentração de pessoas, além da distribuição gratuita de preservativos masculino e feminino nos postos de saúde.

A rede de atendimento a pessoas vivendo com HIV/Aids de Fortaleza conta com nove serviços especializados descentralizados, distribuídos entre os bairros Jacarecanga, Cocó, Rodolfo Teófilo, Conjunto Ceará, José Walter, Messejana, Jóquei Clube, Edson Queiroz e Jangurussu.

Os usuários contam, entre outros serviços, com a disponibilidade do teste rápido em todos os 110 postos de saúde e no Centro de Testagem e Aconselhamento Carlos Ribeiro.

O teste de HIV é gratuito e o sigilo sobre o resultado é garantido. O exame deve ser feito sempre que tenha ocorrido uma relação de risco, sexo desprotegido ou compartilhamento de agulhas de seringas.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.