JAZZ E BLUES

Festival lota antigo Cine São Luiz

18:14 · 04.03.2006
( Divulgação )

Dalwton Moura
da editoria do Caderno 3

Ir ao cinema para assistir a shows musicais. No que depender da segunda noite da programação do VII Festival de Jazz & Blues em Fortaleza, a proposta parece ter caído no gosto do público da capital.

O Centro Cultural Sesc Luiz Severiano Ribeiro, instituição criada a partir do desejo de manutenção de um dos mais tradicionais e simbólicos espaços da cidade, o Cine São Luiz, lotou na noite da última sexta-feira, para as apresentações do pianista acreano João Donato, grande homenageado do evento este ano, e dos instrumentistas cearenses Manassés (violão) e Alex Holanda (percussão), ladeados pelo trompete do carioca Márcio Montarroyos.

Por volta das 20h30min, meia hora antes do horário marcado para o início das apresentações, os carros estacionados em várias ruas das proximidades da Praça do Ferreira, a presença de cambistas e a longa fila anunciavam uma movimentação incomum para as noites de sexta-feira no coração de Fortaleza.

Enquanto a rotina era mantida por quem conversava nos bancos da praça ou dançava ao som de seresta no Clube dos Advogados, o público do Festival de Jazz & Blues, que promoveu shows em Guaramiranga durante o carnaval, chegava em ritmo intenso. “São 1.300 pessoas e teve gente voltando da porta, sem ingresso”, garantia um funcionário do Centro Cultural.

Pouco depois das 21horas, a imensa sala de projeção convertida em espaço para shows estava completamente tomada, à espera do pianista João Donato, que ao lado do baixista Adriano Giffoni (cearense de Quixadá), do flautista e saxofonista Ricardo Pontes e do aclamado baterista Robertinho Silva (que não tocou em Guaramiranga), mostrou clássicos de seu repertório da bossa nova, como “A rã”, “Lugar comum”, “Amazonas” e “A paz”.

De quebra, participações especiais dos cearenses Nonato Luiz, ladeando seu violão ao teclado de Donato em “Brisa do mar”, e Fausto Nilo, que cantou uma parceria inédita com o pianista precursor da bossa nova. A cantora Leny Andrade, que se apresentou no mesmo espaço no sábado, também participou do show.

Já o segundo show da noite não contou com o mesmo entusiasmo do público. O trio Manassés, Alex Holanda e Márcio Montarroyos, reunido especialmente para o VII Festival de Jazz e Blues, acompanhado por instrumentistas cearenses, não contou com a mesma reação favorável da maioria do público na serra.

Nem a homenagem a João Donato com “A rã”, nem as boas releituras de “Santa Morena” (Jacob do Bandolim) e “Pro Zeca” (Victor Assis Brasil), ou as participações de Nonato Luiz na bela “Teia de renda” (Milton Nascimento e Túlio Mourão) e do acordeonista Italo Almeida em “Forró Brasil” (de Hermeto Pascoal) impediram o constrangimento de ver grande parte do público se levantando e deixando o teatro, conforme a hora avançava.

A noitada musical terminou perto de 1 hora de sábado, com a certeza de que, além dos músicos, a riqueza visual do velho São Luiz, sua imponente sala de pé direito alto, colunas grandiosas, teto trabalhado, detalhes a cada olhar, rendeu um show à parte. Quem sabe um motivo de otimismo quanto ao eterno debate sobre a revitalização do Centro de Fortaleza.

A programação do festival se encerra este domingo, a partir das 21 horas (ingressos a R$30,00 e meia a R$15,00), com muito blues tradicional nos shows dos guitarristas André Christóvam (SP) e Kenny Brown (EUA).

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.