Verba emergencial

Estado libera R$ 60 mi para Saúde

Valor vai custear despesas nos próximos três meses; leitos de retaguarda também foram contratados

00:00 · 22.05.2015
Image-0-Artigo-1858219-1
Camilo Santana ressaltou a necessidade de melhorar a gestão de alguns equipamentos de Saúde e lembrou que, quando visitou o Hospital Geral de Fortaleza (HGF), havia 12 milhões de medicamentos em estoque, mas faltavam outros itens

O governador Camilo Santana garantiu, ontem, que atitudes emergenciais já foram adotadas para tentar minimizar a crise na Saúde. Dentre as iniciativas apresentadas pelo gestor, está a contratação de leitos de retaguarda, além da a autorização de uma verba no total de R$ 60 milhões para custear despesas de emergência nas unidades nos próximos três meses.

>Governador pede reembolso de R$ 236 milhões à presidente Dilma

>Balanço mostra número estável de pacientes

Além disso, em no máximo 90 dias, o Governo do Estado, junto a entidades de profissionais da área da Saúde, deverão ter um diagnóstico da situação da rede estadual e apresentarão quais as medidas serão adotadas a médio e longo prazo para sanar as precariedades. As informações foram divulgadas nessa quinta-feira (21), durante uma reunião entre o governador Camilo Santana e representares do Sindicato dos Médicos do Ceará, do Conselho Regional de Medicina, da Associação Médica Cearense (AMC) e do Conselho Regional de Odontologia.

O encontro ocorreu a portas fechadas no Palácio da Abolição e durou cerca de 2h30.O governador apresentou às entidades dados referentes ao financiamento da Saúde no Estado do Ceará, nos últimos anos, e as solicitações feitas por ele à presidente Dilma Rousseff, na reunião de quarta-feira (20). As entidades expuseram algumas reivindicações.

Comitê

Camilo reafirmou que ele coordenará o Comitê da Saúde, que além do poder público, incluirá os profissionais da área. A forma como o comitê irá funcionar ainda está sendo avaliada, no entanto, o prazo para a definição das ações a serem executadas nos próximos meses e anos já foi determinado. "Não quero tomar nenhuma decisão sem esse diagnóstico", explicou. Um representante do Ministério da Saúde deverá acompanhar as discussões.

De acordo com informações do secretário de Saúde em exercício, Henrique Javi, hoje, o Estado tem pactuado 237 leitos na rede complementar e está finalizando o convênio de mais 150. A contratação de uma consultoria externa também foi encaminhada pelo governador Camilo Santana. De acordo com ele, o mecanismo, financiado com recurso do Banco Mundial, fará um diagnóstico amplo sobre a Saúde no Estado do Ceará.

O secretário estadual Henrique Javi que especificou que a consultoria deverá nortear o enquadramento da pasta da Saúde dentro de um projeto chamado "Ceará Saudável", a ser composto também por outras secretarias, como a de Educação e Segurança Pública. A consultoria, que já foi iniciada, terá duração de 18 meses. Além disso, segundo Javi, "o estudo irá melhorar a gestão dos leitos".

Após a reunião com as entidades médicas, Camilo Santana também reconheceu que, "é preciso melhorar a gestão interna dos hospitais para diminuir desperdícios". Uma das possibilidades cogitadas é a criação de uma Central de Compra de Medicamentos já que, hoje, cada unidade realiza suas aquisições. "Quando fui ao HGF (Hospital Geral de Fortaleza), tínhamos 12 milhões de medicamentos em estoque e faltavam outros itens, e isso é gestão", afirmou o governador do Ceará.

Thatiany Nascimento
Repórter

Comentários


Li e aceito os termos de regulamento para moderação de comentários do site.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.