Competição nacional

Escola do CE conquista Prêmio Jovem Cientista

Escola Estadual Joaquim Nogueira conquistou o primeiro lugar na categoria Mérito Institucional

00:00 · 22.05.2015
Image-0-Artigo-1858344-1
Os três primeiros colocados em cada área da categoria científica do evento ficam classificados para a etapa estadual, programada o próximo mês de dezembro ( Foto: Érika Fonseca )

Reconhecida pelo forte incentivo à pesquisa e à inovação no Ceará, a Escola Estadual de Educação Profissional Joaquim Nogueira, de Fortaleza, foi uma das grandes vencedoras do 28º Prêmio Jovem Cientista, iniciativa nacional que gratifica as melhores produções científicas do Brasil. Com trabalhos na área de Segurança Alimentar, tema eleito para esta edição do concurso, o colégio, fundado há 58 anos na Capital, conquistou primeiro o lugar na categoria Mérito Institucional, destacando-se pela quantidade de projetos inscritos na competição. Ao todo, concorreram na premiação 32 artigos, abordando assuntos que vão da reutilização da merenda escolar à agricultura orgânica.

Na manhã de ontem, representantes da instituição estiveram em Brasília para o anúncio dos ganhadores. A premiação é realizada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), em parceria com a Fundação Roberto Marinho. Além de Mérito Institucional, são honrados os melhores trabalhos nas categorias Mestre e Doutor, Estudante do Ensino Superior, Estudante do Ensino Médio e Mérito Científico. Neste ano, 1.920 projetos foram inscritos.

Produções

Elizabeth Chagas Gomes, diretora da Escola, afirma que as dezenas de produções envolveram cerca de 90 alunos do ensino médio. Dentre o material, está o estudo sobre reaproveitamento das refeições servidas diariamente na instituição por meio de processos de compostagem. Os alimentos são convertidos em adubo, que é utilizado na horta sustentável mantida pelo colégio.

Outro projeto centrado na segurança alimentar e nutricional e potencializado pela escola é a criação do chamado "Seed Defense", um biofilme protetor planejado para envolver sementes de feijão e milho, protegendo-as contra possíveis patógenos sem interferir em sua germinação.

Segundo Elizabeth, o prêmio é a consolidação dos esforços da direção e do corpo docente da instituição para fomentar a educação científica entre os alunos. Desde 2008, quando passou a seguir o modelo da formação profissional, o colégio tem como um dos pilares o desenvolvimento da Ciência e da Tecnologia. Parte da carga horária dos mais de 500 alunos é dedicada exclusivamente à iniciação científica. Em paralelo, são realizados eventos que incentivam a produção e dão visibilidade aos projetos.

"Todos os anos promovemos uma feira de iniciação científica e cultural. Os estudantes recebem aulas sobre normas técnicas, fazem o esboço do projeto a partir da problemática e, junto com os professores orientadores, conseguem elaborar uma solução", explica a diretora.

Durante a premiação, o presidente do CNPq, Hernan Chaimovich, parabenizou a escola e citou Fortaleza como uma cidade que "vem se destacando na inserção da Ciência desde o ensino fundamental". "A Escola de Educação Profissional Joaquim Nogueira é uma instituição que está formando talentos", disse.

O coordenador pedagógico Pedro Alves, representante da escola na cerimônia, afirmou que a conquista dará visibilidade aos estudantes e funcionará como estímulo para aprimoramento constante.

Comentários


Li e aceito os termos de regulamento para moderação de comentários do site.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.