boletim da sesa

Em 10 anos, CE soma 351 casos de H1N1 e 63 óbitos

De acordo com a Sesa, o total representa média de 80% das ocorrências positivas para Influenza com agravamento

01:00 · 24.04.2018 por Lêda Gonçalves - Repórter

Entre 2009 e abril deste ano, o Ceará somou 439 casos confirmados da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por Influenza, desse total, 351 pelo subtipo H1N1, com 63 óbitos, aponta o Boletim Epidemiológico da doença divulgado pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesa).

Os dados foram disponibilizados desde a última sexta-feira, quando o Ceará iniciou a Campanha de Vacinação, que prossegue até junho próximo, e destacados durante evento que reuniu, na sede do órgão estadual, secretários da Pasta do Estado, Henrique Javi, e do Município, Joana Maciel, além de coordenadores de imunização, técnicos e infectologistas. Entre janeiro e 14 de abril passado, 27 ocorrências da doença foram comprovadas pelo Laboratório Central (Lacen), sendo 24 pelo H1N1, com quatro mortes.

O objetivo do encontro foi esclarecer à população de que não existe motivo para pânico ou correria para as unidades básicas de saúde em busca da vacina Trivalente, que combate três subtipos da Influenza, mais presentes no Ceará, o H1N1, o H3N2 e a B. De acordo com Henrique Javi, nos últimos três anos, a sazonalidade do vírus influenza ocorreu no primeiro semestre de cada ano.

Prevenção

"Em 2016, tivemos o maior número de casos, com 103 confirmações e 17 óbitos. Naquele ano, assim como estamos fazendo agora, a imunização, principalmente dos grupos prioritários, é uma das ações importantes", afirma, acrescentando que os cuidados com a prevenção mais importantes são lavar as mãos frequentemente, usar álcool gel e, no agravamento dos sintomas da gripe, ir rapidamente a uma das unidades básicas de Saúde.

Doses

Segundo a coordenadora de Imunização de Fortaleza, Vanessa Soldatelli, em apenas três dias, na sexta-feira, sábado e domingo, mais de 80 mil doses foram aplicadas na Capital, de um total de 630 mil a serem encaminhadas pelo Ministério da Saúde. "São 110 postos de saúde, alguns que funcionam no fim de semana. Temos tempo para que todos os grupos prioritários se vacinem", frisa.

Somente no posto do Meireles, de competência estadual, mais de quatro mil pessoas foram imunizadas no último fim de semana, em apenas dois dias.

"É importante dizer que não vai faltar vacina no Ceará. São mais de 850 mil doses, o suficiente nesse primeiro momento. Queremos atingir 90% da população prioritária ou mais de 2,3 milhões de pessoas", garante a coordenadora de Imunização da Sesa, Ana Vilma Leite Braga.

Prioridade

Os grupos prioritários são: idosos a partir de 60 anos, crianças de seis meses a cinco anos, trabalhadores de saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas privadas de liberdade - o que inclui adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas - e os funcionários do sistema prisional. Os portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais também devem se vacinar.

Mais informações

Secretaria da Saúde do Estado do Ceará; Av. Almirante Barroso, 600, Praia de Iracema; (85) 3101.5123

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.