Projeto Gratuito

Democratizar gastronomia no CE é objetivo de escolas

01:00 · 03.08.2018
escolas de gastronomia
Cerimônia de apresentação do conceito das escolas de gastronomia contou com um jantar preparado por três chefs renomados no País ( Foto: Kléber A. Gonçalves )

Democratizar e facilitar o acesso ao mercado de gastronomia no Ceará, além de dar as ferramentas necessárias de entrada para pessoas que querem uma oportunidade em um meio de tão difícil ingresso. Esses são os objetivos, e os conceitos, da Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco e da Escola de Hotelaria e Gastronomia da Estação das Artes. A premissa foi apresentada na noite da última quinta-feira (2), na sede localizada no bairro do Mucuripe.

Segundo João Lima, articulador de gastronomia e um dos gestores das escolas administradas pelo Instituto Dragão do Mar, a iniciativa tem o poder de transformar a vida das pessoas pelo ensino de gastronomia, mas o projeto deve ir além. Somadas às oportunidades de aprender técnicas de culinária e hotelaria, os alunos terão, de forma gratuita, a chance de discutir, também, conceitos de empreendedorismo e modelos de negócio para dar início às próprias empreitadas.

Para Lima, essa é uma das formas de se democratizar a gastronomia no Ceará, aliando conceitos que poderão ser aplicados para melhorar os já conhecidos atrativos turísticos do Estado. "Essas são escolas que tratam de uma vocação natural que temos: a hospitalidade. A partir delas, podemos gerar uma grande transformação social dentro do Estado. A ideia inicial é capacitar jovens, de 17 a 29 anos, mas não só nessa faixa de idade, não somente esse público, para as áreas de gastronomia e hotelaria", disse Lima

Ao todo, o articulador estima que serão atendidas 15 mil pessoas pelos cursos e programas de ensino das escolas, considerando o período de um ano. "São escolas de transformação social. A gente sabe que os custos dessas escolas são altos no mercado e a população vai ter o acesso ao que temos de melhor no ensino de gastronomia de forma gratuita", analisou João Lima.

Responsabilidade social

A perspectiva de democratização e o envolvimento social das comunidades ao redor dos equipamentos também foram mencionados por Geraldo Luciano, vice-presidente do Grupo M. Dias Branco, único financiador dos empreendimentos.

"O foco é de incentivar o ensino de gastronomia, e acho que o Ceará tem muito a mostrar nesse campo. A ideia inicial sempre foi envolver as pessoas da comunidade e, preferencialmente, as pessoas que estarão trabalhando aqui serão da região. Nós do Grupo M. Dias Branco estamos muito felizes com o resultado, pois temos equipamento dos mais modernos no mercado da gastronomia aqui nas escolas", avaliou Geraldo Luciano.

Iniciativa fundamental

O evento de apresentação do conceito das escolas ainda contou com a presença de três chefs renomados do mercado brasileiro de gastronomia: Helena Rizzo, do restaurante Maní (SP); Luciano Boseggia, do Verbena (SP), e Leo Gonçalves, do O Mar Menino (CE). Todos elogiaram e reconheceram a iniciativa para criar as escolas. "Temos uma lacuna educacional no País, e essa iniciativa é fundamental para o Ceará", disse Rizzo.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.