fortaleza

Crescimento da frota de veículos impacta mobilidade

De 2017 para cá, o número de veículos com até cinco anos de uso cresceu, passando de 30% para 32,44%

01:00 · 05.09.2018 por André Costa - Especial para Cidade
CARROS
Um dos problemas causados pelo aumento de veículo é dos congestionamentos ( FOTO: REINALDO JORGE )

Um número que não para de crescer. Paralelo a ele, questões que impactam diretamente na mobilidade urbana. De acordo com dados do Departamento Estadual de Trânsito do Ceará (Detran-CE) 208 novos veículos são emplacados a cada dia na Capital cearense. Em comparação a igual período do ano passado, o número saltou 58,7%, quando eram emplacados 131 veículos diariamente em Fortaleza. Para especialistas, o crescimento da frota gera a falta de vagas de estacionamento, redução de velocidade em importantes vias, além do aumento de valor dos combustíveis.

Em todo o Estado, atualmente, são emplacados em média 463 veículos por dia, o que representa crescimento de 60,2% em relação aos oito primeiros meses do ano passado, quando o Ceará detinha a média de 289 novas implantações diárias.

A expansão na quantidade de veículos emplacados por dia, quando comparado os dois últimos anos, freia uma desaceleração que vinha sendo observada nos últimos anos. O motivo, segundo especialistas, foi a retração da economia verificada no Brasil. Os índices atuais, no entanto, evidenciam uma recuperação do setor automobilístico. Em 2007, por exemplo, ano em que o órgão registrou um bom número de veículos implantados diariamente, foram 324 veículos emplacados por dia no Estado e 145 em Fortaleza, números superados neste ano.

INFO

Incremento

Nos primeiros oito meses deste ano, a frota veicular de Fortaleza teve um incremento de 33.353 veículos, totalizando 1.070 milhões, de acordo com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Já no Ceará, entre janeiro e agosto de 2018, o Detran registrou 74.092 novos emplacamentos, somando 3.137.779 veículos no Estado. Em agosto do ano passado, a frota cearense de veículos estava em 3,02 milhões.

Em média, para cada fortalezense, há 2,2 veículos, o que põe Fortaleza como a capital que detém a maior frota de veículos do Norte e Nordeste e a sétima do País, com 1.070.333 veículos emplacados até agosto deste ano. São Paulo lidera o ranking, com 7.431.150 veículos. O Rio de Janeiro não disponibilizou seus números no dia de ontem. Eis os números: Belo Horizonte (1.954.015); Brasília (1.750.867); Curitiba (1.407.320); Goiânia (1.129.087); Fortaleza; Salvador (894.366); Porto Alegre (835.275) e Recife (673.513), que fecha as capitais com maior frota. O incremento na frota representa, na prática, veículos mais novos circulando no Estado. De 2017 para cá, o número de veículos com até cinco anos de uso cresceu, passando de 30% para 32,44%.

Veículos entre cinco e 10 anos de uso representam 38,90% do total de frota e, aqueles com mais de dez ano de uso, totalizam 28,66% da frota cearense.

Desafios

O aumento representa maior disputa por espaços nas vias públicas. Numa tentativa de minimizar os transtornos causados, sobretudo, pelo elevado número de congestionamentos registrado principalmente nos horários de pico, obras de mobilidade urbana estão em andamento na Capital cearense. Atualmente são pelo menos 17 intervenções em Fortaleza. Além das obras de mobilidade, a Prefeitura destaca o projetos como o Bicicletar, binários e faixas exclusivas para transporte coletivo.

O professor do Departamento de Engenharia de Transportes da Universidade Federal do Ceará (UFC), Mário Ângelo Azevedo, avalia que, mesmo com a introdução de novos modais, os condutores ainda não possuem hábitos de uso. "Se eu estou melhorando o sistema viário, estou mandando o recado de que pode comprar carro, pois tem espaço. Ninguém vai deixar o conforto do veículo particular para usar um ônibus coletivo, mesmo com ar-condicionado".

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.