sistema verdes mares

Conjunto Palmeiras recebe o 'Tô na Praça'

A 13ª edição do evento acontece na Praça do Conjunto Palmeiras, às 17 horas do próximo sábado (20)

00:00 · 19.05.2017 / atualizado às 00:33
Image-0-Artigo-2243548-1
Uma extensa programação de atrações artísticas, culturais e de entretenimento para todas as idades fará parte do "Tô na Praça" ( Foto: Cid Barbosa )

A palavra-chave é união. Atrás da imensa porta que ela abre, encontra-se talvez o bairro mais singular e rico entre os 119 que formam Fortaleza, com organização e até moeda própria. Quem apura os ouvidos, o olhar e a curiosidade ao cruzar as dependências do Conjunto Palmeiras, na Regional VI da cidade, ganha acesso à história de um lugar único, crescente como uma família que cuida com afeto de cada compartimento da casa onde mora. É na sala de estar, a Praça do Conjunto Palmeiras, onde os anfitriões receberão, no próximo sábado (20), a 13ª edição do "Tô na Praça", evento promovido pelo Sistema Verdes Mares em parceria com a Prefeitura de Fortaleza.

O logradouro fica no entroncamento das ruas paralelas Olímpio Ribeiro e Campinense, cortadas pelo principal corredor do bairro, a Rua Valparaíso. Nela, coração do Palmeiras de canteiro florido e ocupado por arte, os comércios se enfileiram e dividem espaço com dois dos compartimentos mais importantes da grande casa: a Associação de Moradores do Conjunto Palmeiras (Asmoconp) e o Banco Palmas, instituição pioneira e referência nacional em economia solidária e auto-organização. Característica que, aliás, habita cada um dos que moram no lugar.

"Nossa identidade é de luta e organização, sempre foi assim. Aqui os projetos são todos pensados e feitos pela comunidade, que se reúne com garra e coloca tudo pra frente", diz, orgulhosa, a diretora da Asmoconp, Darcília de Lima, moradora do Palmeiras há quase 40 dos 62 anos de vida. "Quando cheguei, a Valparaíso era um riacho, a gente lavava roupa nela, acredita? As ruas eram carroçáveis, de um lado e do outro. O canal que passa por baixo dela hoje foi construído pelo povo, e a rua é cuidada por todo mundo", relata, com olhos e sorriso saudosos, mas felizes pelo retrato bonito a que assiste da janela do prédio da associação.

De fato: "Este canteiro é cuidado por moradores" é o primeiro aviso visível a quem chega ao bairro pela Valparaíso, estampado numa placa fincada no colorido canteiro central. A assinatura da mensagem vem logo abaixo: "Conselho do Quarteirão", expressão usada para nomear o mutirão de limpeza e revitalização das ruas e canteiros da região, realizado de forma voluntária pelos habitantes.

Na via que se estende por 2 km no bairro, primeira a receber as intervenções, as garrafas pet foram transformadas em enfeites e artesanatos para decorar os jardins plantados pelos voluntários. Mais de 400 pneus já viraram jarros e banquinhos, úteis para quem quer desfrutar da conexão de internet gratuita fornecida pelo Banco Palmas. "A Prefeitura tem seu papel, mas não tem condição de cuidar de tudo. Os moradores detectam os problemas e repassam ao poder público os que não podem ser resolvidos. As pessoas têm de dizer 'o bairro é meu!' e tomar para si a tarefa de cuidar também", afirma o coordenador do Conselho e fundador do Banco Palmas, Joaquim Melo.

Crescimento

Em 2014, uma pesquisa da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SDE) apontou o Conjunto Palmeiras como o bairro de menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de Fortaleza, considerando fatores como educação, longevidade e renda. As dificuldades, porém, não freiam a comunidade. "É um povo unido, de resistência, que consegue entender as problemáticas do bairro e encontrar soluções junto, sempre cobrando do poder público, mas fazendo sua parte", descreve Jaqueline Dutra, 35, gerente do Banco Palmas.

Unido à tranquilidade do bairro, é esse abraço coletivo que encanta o estudante Milton Alexandre, 19, desde que nasceu. "Eu gosto demais daqui. Esse lugar é um patrimônio histórico, é uma prova de que as pessoas, quando se juntam, fazem o que querem", afirma, endossado pela mãe, Edilene Martins, que chegou ao Palmeiras ainda nos anos 1990. "É uma comunidade que gosta de colaborar, ajudada pela associação, que é muito forte, e pelo banco, que estimula o nosso crescimento", opina a comerciante, que tem a Praça do Conjunto Palmeiras como varanda de casa.

Atrações

É para lá que o "Tô na Praça" leva, a partir das 17h até as 20h do próximo sábado, uma extensa programação de atrações artísticas, culturais e de entretenimento para todas as idades. A abertura das apresentações será por conta do Grupo de Capoeira Zumbi, seguido pelo rapper Daniel Lima e pelo grupo popular Parahyba & Cia Bate Palmas. Já às 19h, a animação da festa será garantida pelo grupo de dança Regional Cordapés que, ao descer do palco, dará lugar e voz ao grupo de hip-hop Sul Clan.

Além do espaço a artistas locais, o evento - que até novembro visitará 40 praças de Fortaleza - terá distribuição de brindes, ações de sustentabilidade com o personagem "Bem Limpinho" e eleição da "Garota da Praça", concurso promovido pela TV Diário para escolher a moradora mais carismática do bairro. A TV Verdes Mares também integra a programação com um estande para esclarecer dúvidas sobre o sinal digital.

Mais informações:

Veja matérias e galeria de fotos das edições passadas do "Tô na Praça" no site do evento www.verdesmares.com.br/tonapraca.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.