Coluna

Comunicado: Cabem propostas, é claro

roberto-maciel

Comunicado

ROBERTO MACIEL - roberto.maciel@diariodonordeste.com.br • Coluna da editoria Cidade

01:00 · 25.04.2018

Nesses dias que já se aquecem com os ventos pré-eleitorais, a Assembleia Legislativa até que tem se desvencilhado de discursos pouco esclarecedores que apenas tentam sequestrar a temática da segurança pública para focos isolados. Numa Casa fragmentada pelas naturezas plural e política que tem, isso acaba sendo um proativo encaminhamento para uma questão ora conduzida com interesses eleitorais, ora com vieses convenientes à oposição ou à situação. Parte das observações destacadas por deputados, excetuando o blablablá inócuo, tem tratado de demandas reais. O que falta, dinheiro ou gestão? Força ou estratégia? Ação política ou técnica? Se as dúvidas servirem de base para bons projetos, e não só para o palavrório, hão de ser em boa medida.

Outro olhar

O deputado Osmar Baquit (PDT) já colocou uma derivação na cena do plenário, em contraponto a manifestações de quem flerta com intervenção militar na segurança: "Talvez não seja uma intervenção que resolva o problema e reduza os índices de violência, mas a liberação de mais recursos".

Ao contrário

A referência de Baquit é o Rio de Janeiro, para onde o Exército foi designado para resolver as demandas de segurança - o que as polícias estaduais não vinham conseguindo. Pelo andar dos indicadores, entre os quais o homicídio de uma vereadora e do motorista dela, a situação não melhorou.

1,4 mil novos policiais

Militares devem ser integrados às ações estaduais de segurança pública em 13 de junho próximo. O anúncio foi feito ontem pelo governador Camilo Santana (PT), em rede social na Internet.

9 mil policiais

Já terão sido disponibilizados para diferentes órgãos da segurança pública somente desde 2015, segundo Camilo, quando teve início a administração atual.

Na pauta

A Plataforma Estratégica de Desenvolvimento de Longo Prazo - Ceará 2050, menina dos olhos do Palácio da Abolição, vai ser debatida por um setor essencial à economia: o comércio. CDL de Fortaleza, Federação das CDLs do Ceará e o Governo do Estado, em parceria com a Universidade Federal do Ceará, tratam hoje do tema. A discussão começa às 18h30min, na CDL de Fortaleza (Rua 25 de Março, 882 - Centro).

Diálogo benigno

O vereador Benigno Júnior (PSD) é uma das poucas vozes da situação que se posiciona na questão dos alvarás e das taxas que a Prefeitura de Fortaleza cobra pelos documentos - que são obrigatórios para o exercício de atividades comerciais e industriais na cidade. Ele avalia que o aumento dos custos e a exigência de autorizações anuais causarão danos sérios. "Vão aumentar a informalidade e o desemprego", diz. O parlamentar defende o diálogo entre os segmentos produtivos que têm relação direta com o assunto.

"Nossos jovens continuam expostos à violência urbana, ao ódio e à intolerância, muitas vezes dentro da própria casa"

Deputada Fernanda Pessoa (PSDB)
Sobre a necessidade de políticas públicas voltadas para a juventude

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.