rede de esgoto

Cobertura sanitária de domicílios cai no Estado

01:00 · 27.04.2018

O nível de cobertura de esgotamento sanitário de fossas ligadas à rede de esgoto cearense caiu no Estado, bem como na Capital. De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que avalia os números em todo o Brasil, o poder público não conseguiu oferecer o serviço na mesma proporção em que os domicílios cresceram entre 2016 e 2017.

Em 2017, já são contabilizados ao menos 2.861 milhões de domicílios distribuídos no Ceará. Desse total, apenas 44,9% possuem fossa ligada à rede sanitária, enquanto mais da metade (51,2%) não dispõem desse serviço. Os números representam um decréscimo quando comparados com os dados da Pnad Contínua de 2016, quando a cobertura sanitária atingia 45,2% dos 2.851 milhões de domicílios.

Ao mesmo tempo, há dois anos, 48,7% desses imóveis não apresentavam ligação do esgoto à rede. Na Capital, também houve decréscimo de cobertura. Em Fortaleza, o IBGE contabilizou 861 mil domicílios nas sete regionais. Desse total, 75,6% possuem ligação com a rede de esgoto; em 2016, eram 76,6% dos 853 mil imóveis.

Leia ainda:

> Acesso à internet cresce 19,9% no CE e chega a 1,67 milhão de domicílios
> População idosa da Capital diminui, e infantil cresce 
> Mais motos e menos TVs em 2017
> 70% das moradias do Estado são quitadas 
> 99,9% das casas tinham energia

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.