Gratuito

Clínica realiza diagnóstico e tratamento para plantas

O projeto da UFC oferece o serviço há quase 60 anos. Todas as espécies de plantas são avaliadas

01:00 · 13.08.2018
Image-0-Artigo-2438940-1
As doenças nas plantas podem ser causadas por vírus, bactérias, fungos - sendo esse último, o principal causador dos males; Nas árvores, as principais doenças tratadas pela Clínica são a "antracnose" e o "oídio" ( Foto: JL Rosa )

As plantas e árvores também ficam doentes. Por este motivo, desde 1960, a Clínica de Plantas da Universidade Federal do Ceará (UFC) trabalha com atendimento especializado para esse grupo. O projeto realiza análise, diagnósticos e tratamento da flora infectada.

"A clínica é para qualquer cuidador, seja do espaço urbano ou rural. Basta trazer a planta que é realizada a consulta", explica Cristiano Lima, coordenador da Clínica e professor do curso de Agronomia da UFC.

No entanto, o serviço gratuito é oferecido preferencialmente aos pequenos produtores rurais que não podem pagar por uma análise especializada, com o objetivo de evitar prejuízos. Mas quem planta em casa também pode procurar o local, que fica no Campus do Pici.

As doenças nas plantas podem ser causadas por vírus, bactérias, fungos - sendo esse último, o principal causador dos males. Nas árvores, as principais doenças tratadas pela Clínica são a "antracnose" e o "oídio".

Manchas

Ambas as enfermidades causam manchas nas folhas, porém diferenciam-se pelo fungo causador, e pela coloração dos borrões - de cor escura, no caso da antracnose; e branca, em relação ao oídio. "A coloração das folhas muda, aparecem manchas, as plantas ficam mais fracas. Mesmo quando elas estão sendo regadas e nutridas suficientemente, elas não apresentam melhoria até que o problema seja descoberto e tratado", aponta Cristiano sobre os principais sintomas de uma planta doente.

"A diminuição da área foliar (por conta das manchas) acaba influenciando na fotossíntese da planta. A planta não tem área suficiente para fazer o processo, e isso vai interferir em todo o alimento dela", explica Diene, participante da Clínica e doutoranda em fitotecnia da UFC, sobre o mal causado pelo surgimento de manchas.

De acordo com informações da Clínica, ingerir um fruto oriundo de uma árvore doente (por antracnose e oídio) não costuma fazer mal a outros seres, como animais e humanos, porque o fungo causador é inofensivo a essas espécies.

Variação

Os profissionais da Clínica informam que o resultado da análise pode variar dependendo da situação da planta, e o diagnóstico pode levar um mês para ficar pronto. "Tem caso que a estrutura já está ali, e já pode ser visualizada, assim eu posso fazer o diagnóstico; mas tem alguns que não, que precisam crescer e se desenvolver para serem analisados", explica.

A pesquisadora completa que "se tiver uma amostra significativa da parte onde tiver o sintoma, conseguimos identificar apenas com essa amostra. Tem casos onde a doença está na raiz, então o produtor precisa trazer a raiz; tem casos que a doença é no caule. Então, depende de onde a doença se desenvolve", explicando que para resultados expressivos não é necessário uma consulta à planta toda.

Prevenção

"Trabalhar com semente sadia; substratos de boa procedência, e solo em boas condições. Todas essas etapas precisam ser percorridas de maneira preventiva", revela a doutoranda sobre os passos ara evitar a contaminação da planta. O principal objetivo da clínica é a "diagnose da doença" que acomete a planta. Já em relação ao tratamento da árvore, o professor Cristiano Silva informa que "a Receita Agronômica, semelhante à uma receita médica, é emitida por um engenheiro agrônomo, o "médico das plantas". Mas a emissão é restrita aos "pequenos produtores que comprovadamente não podem pagar pelos serviços de um profissional de Agronomia", completa o coordenador da Clínica.

Mais informações

Clínica de Plantas da UFC

Endereço: Campus do Pici, Bloco 806, Sala 103, das 8h as 12h, e 14h as 18h - Telefone: 33669681

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.