14ª edição

Circuito Cearense de Jangadas agita o mar

250 pescadores participaram do evento, que cumpriu percurso da Praia do Mucuripe até o Náutico

00:00 · 19.12.2016 por Jéssica Colaço - Repórter
Image-0-Artigo-2176535-1
Nem mesmo as chuvas que caíram em parte da manhã deste domingo impediram o brilhantismo da tradicional competição ( FOTO: JORGE ALVES )

Dependendo de ventos fracos e sob um céu nublado - cenário bem diferente do que a orla de Fortaleza costuma apresentar -, cerca de 250 pescadores participaram, na manhã de ontem, do 14º Circuito Cearense de Jangadas, que teve como vencedora a embarcação Diana I, de Majorlândia. Os competidores partiram às 11h, da praia do Mucuripe, cumpriram as quatro voltas do percurso e finalizaram a disputa na Praia do Náutico. O evento teve o apoio e a transmissão da TV Diário.

O pescador Jovenásio de Oliveira, 42, um dos líderes da Diana I, disse que, em virtude do tempo chuvoso, foi necessário improvisar em alto mar. "Pegamos uma qualidade de vento diferente, e a nossa vela não estava pareada para isso. Mas na hora mudamos e deu certo". Os cinco pescadores que foram à bordo da Diana I ganharam R$ 3 mil e um vale de R$ 500 em mercadorias da Tecidos & Cia.

O segundo e o terceiro colocados, as jangadas Ceilândia e Nossa Senhora dos Navegantes, respectivamente, ganharam, R$ 2mil e R$ 1 mil. Além das jangadas, que totalizaram 26, na competição, a disputa contou com a participação de 24 paquetes, que tiveram uma premiação separada da principal.

No trecho entre as praias do Mucuripe e do Náutico, de onde era possível acompanhar o percurso das jangadas, centenas de pessoas torciam e registravam as manobras dos pescadores. "Vim no ano passado e estou aqui de novo, torcendo pelo meu marido", disse a dona de casa Carla Ferreira, 38, observando, junto das filhas, o marido que estava comandando a tripulação da jangada Gaby.

Para o diretor de Relações Institucionais, Programação e Jornalismo do Sistema Verdes Mares, Paulo César Norões, dar continuidade à tradição do circuito de jangadas é uma forma de preservar um dos ícones da cultura cearense, o do pescador. "A gente traz, para um ambiente festivo e de esporte, algo que é a luta diária desses trabalhadores, a coragem de enfrentar o mar aberto, muitas vezes em condições adversas, e mostramos ao público a expertise que eles têm", disse.

Já o diretor de jornalismo da TV Diário, Roberto Moreira, frisou a importância da competição para aproximar os pescadores da sociedade. "Ainda falta uma conscientização maior para essa aproximação mais profunda do homem do mar com a sociedade, mas vamos alcançar".

Atrativo

O secretário municipal de Turismo, Erick Vasconcelos, que deu a largada da competição e acompanhou a disputa num barco, destacou que "o evento como um atrativo turístico da nossa cidade, e nós procuramos cada vez mais resgatar essa tradição e dar apoio aos pescadores".

O presidente da Colônia de Pescadores Z-8, Possidônio Soares, afirmou que a competição foi uma prova de resistência dos pescadores, esforço compensado pelo sentimento de confraternização que surge na disputa. "Vêm alguns competidores de fora, e acaba sendo uma confraternização, pois cada um têm seus costumes, e conhecimentos :eles conversam, trocam conhecimentos e isso é saudável".

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.