Fé e devoção

Celebrações marcam feriado de Corpus Christi

Membros de Igrejas de Limoeiro do Norte e da Paraíba participaram de solenidade de Corpus Christi na Capital

A solenidade, que incluiu procissão saindo da Paróquia de São Benedito até a Catedral, para os católicos, marca a festa do "Corpo e Sangue de Cristo" ; alguns fazem questão de registrar o fato no celular ( Fotos: Thiago Gadelha )
01:00 · 01.06.2018 / atualizado às 01:03 por João Neto/Thatiany Nascimento - Repórteres

Religiosos de Fortaleza, Região Metropolitana e do Interior lotaram o Santuário Arquidiocesano de Adoração, na Paróquia de São Benedito, na tarde de ontem. Na celebração de Corpus Christi, na 80ª Semana Eucarística, a Igreja adotou o tema "Eucaristia: fonte de unidade, comunhão e santidade" e o lema "Fazei isto em memória de mim". Fieis louvaram, adoraram e exaltaram o  amor de Deus.

Padre Francisco Bezerra, vigário Episcopal da Região Metropolitana São José, representou Dom José Antônio Aparecido Tosi Marques, que se recupera de um problema de saúde, presidindo  a Celebração Eucarística.

Dom Manuel Edmilson da Cruz, bispo emérito de Limoeiro do Norte, dom Aldo Di Cillo Pagotto, arcebispo emérito da Paraíba, nove padres e dois diáconos também estiveram presentes concelebrando no altar. Padre Francisco Duarte, reitor do Seminário de Filosofia, na homilia, ressaltou que "a primeira certeza que devemos ter como cristão é que somos muito amados por Deus" e  lembrou a encarnação, nascimento, vida, morte e ressurreição de Cristo Jesus até a vinda do Espírito Santo aos apóstolos e a toda Igreja.

Centro

Após a Celebração Eucarística, houve a procissão de Corpus Christi saindo do Santuário até a Catedral Metropolitana de Fortaleza, onde foi encerrada com a bênção solene do Santíssimo Sacramento. O percurso da procissão incluiu a Rua Clarindo de Queiroz, Av. Tristão Gonçalves, Av. Duque de Caxias, Av. Barão do Rio Branco, Rua Castro e Silva até a Catedral Metropolitana. Para realizar o trajeto, a Igreja contou com o apoio de policiais militares e de agentes da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC).

Dona Maria da Glória, 65, acompanha há 10 anos a procissão no Centro da Capital. Ao lado de filhos e netos, ela participa com o intuito de agradecer às bênções que recebeu durante a vida. "Eu sofri com um câncer. Quase morro. Por meio de Deus e dessa data, eu criei força e tive um pedido de saúde atendido", explica a aposentada.

A data também beneficiou os vendedores ambulantes e donos de carrinhos de lanche. Anualmente, o vendedor de milhos Paulo de Tarso, 42, chega cedo em frente à Paróquia de São Benedito. "Venho às 15h para pegar um lugar bom. Fico até às 17h e sigo para a Catedral. A gente também aproveita para agradecer", disse o vendedor.

Aldeota

A solenidade que, para os católicos, marca a festa do "Corpo e Sangue de Cristo" e faz alusão à Quinta-Feira Santa, quando Jesus instituiu o sacramento da eucaristia, também foi celebrada na Paróquia Cristo Rei, na Aldeota. A Igreja ficou lotada durante a celebração, que teve início às 17h. No local, um tapete de 35 metros de comprimento e 2,5 metros de largura adornava o corredor central da instituição. Conforme o pároco da Cristo Rei, Nonato Resende, o tapete foi confeccionado por integrantes das pastorais, como a de casais, das crianças e de leitores.

O padre também reforça que, no Dia de Corpus Christi, a Igreja traz uma clara mensagem: "A festa de Corpus Christi é a festa da eucaristia. Nós reconhecemos Jesus como nosso rei, mas só tem sentido se nós conseguirmos adorar Jesus na eucaristia se nós adorarmos também no irmão, especialmente o irmão marginalizado", ressalta.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.